Forças Armadas reforçam tranquilidade no segundo turno das eleições

Forças Armadas reforçam tranquilidade no segundo turno das eleições

Militares atuaram no transporte de urnas e pessoal a serviço da Justiça Eleitoral Foto: Ministério da Defesa

Às 17h em ponto desse domingo (29), pelo horário de Brasília, as urnas eleitorais foram lacradas nos 57 municípios que elegeram prefeitos e vice-prefeitos no segundo turno das eleições deste ano. Para assegurar o exercício da cidadania, 5.157 militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica apoiaram o pleito com Garantia de Votação e Apuração (GVA) e com apoio logístico.

Nesse segundo turno, quatro unidades da Federação receberam apoio de GVA. Foram: Acre, com duas localidades na capital Rio Branco; Amazonas, com 13 locais atendidos na capital Manaus; Maranhão, com apoio a cinco pontos da capital São Luís; e o Ceará, com 17 lugares que receberam o reforço da presença dos militares, na capital Fortaleza e em mais três zonas eleitorais no município de Caucaia. Já o apoio logístico, foi prestado ao município de Paquetá, no Rio de Janeiro.

A atuação dos militares nessas 41 localidades, tanto em GVA quanto com o transporte de urnas e pessoal a serviço da Justiça Eleitoral, necessitou a ativação de quatro Comandos Conjuntos. Os dois estados da Região Norte foram atendidos pelo Comando Conjunto Amazônia, o Maranhão foi apoiado pelo Comando Conjunto Norte e o Ceará teve o envolvimento de tropas do Comando Conjunto Nordeste. O Rio de Janeiro, que necessitou de apoio logístico para o município de Paquetá, contou com o trabalho de militares do Comando Conjunto Leste. O deslocamento e transporte das tropas foi possível com o uso de 457 viaturas, três aeronaves e uma embarcação.

Atuação das Forças Armadas

O emprego das tropas em operações eleitorais para segurança do processo democrático é previsto no Código Eleitoral (Lei nº 4.937/1965, art. 23, inciso XIV) e foi homologado por meio de Diretriz Ministerial da Pasta da Defesa.

Para coordenar as ações militares por todo o Brasil, na sexta-feira (27), foi ativado o Centro de Operações Conjuntas (COC), do Ministério da Defesa. O COC, composto por militares das Três Forças, atuou de forma ininterrupta. A unidade coordena as ações militares para Garantia da Votação e Apuração (GVA) e para o apoio logístico no transporte de urnas e de servidores da Justiça Eleitoral.

À frente da Pasta da Defesa, o ministro Fernando Azevedo avaliou que “a atuação das Forças Armadas na Operação Eleições 2020 foi oportuna e necessária, atendeu à convocação do TSE e a determinação do Presidente Jair Bolsonaro. No primeiro turno, atuamos com ações de Garantia de Votação e Apuração em 630 localidades e em outras 104 com apoio de logística. No segundo turno, foram 41 localidades, sendo 40 com GVA e uma com logística. Tudo transcorreu normalmente. Parabenizo os militares por mais esta missão bem cumprida”.

 

Com informações do Ministério da Defesa

 

Leia mais

Leia também