Filme gravado em Nova Venécia mostra o Casarão dos Escravos em 1973


Baseado na obra-prima de João Guimarães Rosa, Sagarana, o Duelo! conta com Paulo Thiago, que também assina a direção e roteiro do filme que foi indicado ao Urso de Ouro, no Festival de Berlim em 1974, pela sua atuação neste clássico do cinema nacional. A reportagem traz o link do filme, disponibilizado no YouTube


O Casarão do Barão de Aymorés, mais conhecido como “Casarão dos Escravos”, localizado na Serra de baixo, em Nova Venécia, foi um dos cenários em 1973, para gravação do filme Sagarana, o Duelo!, que conta com direção e roteiro de Paulo Thiago. Baseado na obra-prima de João Guimarães Rosa,  o clássico nacional foi o primeiro e único longa-metragem com cenas gravadas no Município. A reportagem especial é de Cintia Zaché, da Rede Notícia.

Durante as gravações da película no município veneciano, moradores participaram de alguns detalhes da locação do espaço. Um deles foi Dacílio Júnior Pestana Santos (In Memória), mais conhecido como Dacilito. Os tiros ouvidos na sequência da obra foram feitos por ele, já que o protagonista, o ator Joel Barcelos, não possuía intimidade com as armas. Ainda, de acordo com o livro, À Sombra do Elefante, de Izabel Maria da Penha Piva e Rogério Piva, as armas utilizadas nas cenas gravadas na região, eram do acervo de Dacilito. “Essas armas estão sob guarda do exército, em Vila Velha”, explica o enteado de Dacilito, Antonio Emílio Borges.

» “Sagarana: O Duelo” foi lançado em DVD pela Paramout Pictures em 2006.
» Em Sagarana, o Duelo!, Paulo Thiago, que também assina a direção e roteiro do filme, foi indicado ao Urso de Ouro, no Festival de Berlim em 1974

Cena Gravada no Casarão dos Escravos

cena gravada no Casarão dos Escravos acontece quando atocaiados na velha casa abandonada (Casarão dos Escravos), Turíbio Todo, interpretado pelo ator capixaba Joel Barcelos, e seu companheiro de ofício, aguardam a vítima, que se aproxima num calhambeque azul. A vítima é morta com vários tiros (disparados por Dacilito) e o calhambeque, incendiado durante o tiroteio.

De acordo com o proprietário de uma mecânica na época, seu Élcio Ferrari, o calhambeque utilizado no filme foi levado a sua oficina para reparos.  A equipe de reportagem entrou em contato para saber  quem era o proprietário do automóvel, mas seu Élcio diz lembrar do calhambeque, porém, não do dono. Há rumores entre pessoas que viveram aquela época de que o carro poderia ser de Flayane Bastos (In Memória), ou de um de seus filhos, o Ciane Bastos, fatos que seu irmão, Mauryneto Barcellos Bastos afirma não proceder. “Não era do meu pai e o carro do Ciane era preto, tinha uma tampa na traseira e formava um banco, não era esse carro”, explica Mauryneto Barcellos Bastos.

As cenas que movimentaram a cidade em plena ditadura militar, contou com a permanência da equipe do filme e atores, por dias em Nova Venécia. No momento, o Casarão dos Escravos já se encontrava em avançado estado de deterioração, mas ostentando ainda, sua arquitetura original do final do século XIX, coincidentemente, no ano em que completava 100 anos de construção.

Baseado na obra-prima de João Guimarães Rosa, o conto O Duelo, do livro Sagarana, lançado em 1946, o filme foi lançado em DVD em 2006, pela Paramount Home Entertainment.

Com locações no interior do Espírito Santo, além de Nova Venécia, Linhares, São Mateus, João Neiva (Acioli), Colatina, Serra, Vila Velha e entre outros locais, estão na obra prima de Paulo Thiago. De acordo com o historiador Rogério Piva, o diretor era de Aimorés, Minas Gerais, e por conta disso, tinha conhecimento das regiões capixabas.

» Atores durante gravação, na varanda do Casarão dos Escravos
» Cenas do duelo em frente ao exuberante Casarão dos Escravos
» Calhambeque azul foi incendiado durante gravação, momento que também acontece um duelo, sendo os tiros disparados das armas de Dacilito

Sinopse
Sagarana, o Duelo!

Turíbio flagra sua mulher Silvana com um amante que é caçador de cangaceiros. Turíbio arma um plano para se vingar, mas acaba matando o homem errado. Ironicamente, quem deve prendê-lo pelo crime é justamente o amante da mulher.
Elenco: Rodolfo Arena, Joel Barcellos, Zózimo Bulbul, Sadi Cabral, Antonio Carnera, Emmanuel Cavalcanti, Roberto Ferreira, Wilson Grey, Átila Iório, Erley José, Luiz Linhares, Ana Maria Magalhães, José Marinho, Milton Moraes , Ítala Nandi, Waldir Onofre, Paulo César Peréio, Ruy Polanah, Vinícius Salvatori , Jofre Soares, Nery Victor, Milton Vilar, Paulo Villaça.
Data de lançamento: 1974 (mundial)
Diretor: Paulo Thiago
Música composta por: Antonio Carlos Jobim
Autor: Guimarães Rosa
Roteiro: Paulo Thiago
Produção: Paulo Thiago

Link para ver o filme: https://www.youtube.com/watch?v=FYzLF6L-Wsw
· Crédito: cenas capturadas do filme, Sagarana: O Duelo/  Agradecimentos aos historiadores Rogério Piva e Izabel  Maria da Penha Piva

» Historiadores Izabel Maria Piva e Rogério Piva publicaram texto sobre o filme no livro: À Sombra do Elefante