FIEMG Lab anuncia startups selecionadas para programa de aceleração

A terceira jornada do FIEMG Lab 4.0, da Federação das Indústrias do estado de Minas Gerais, anunciou as 50 startups que serão contempladas pelo programa. A iniciativa é considerada a maior em aceleração de startups B2B com soluções industriais do país e é dividida em três fases. Com um ano de duração, as startups passarão por um processo de lógica evolutiva, fortalecendo a conexão e geração de negócios. 

As 50 selecionadas terão acesso a um fundo para realização de provas de conceito – uma metodologia exclusiva que combina aceleração do negócio e da tecnologia – e mentorias com especialistas.

“O FIEMG Lab é um hub de referência e inovação aberta com objetivo de apresentar soluções inovadoras para a indústria, e encontramos nas startups um dos meios para que isso aconteça”, comenta Gustavo Macena, superintendente do Instituto Euvaldo Lodi (IEL). 

“Acelerar uma startup, para nós, é promover um ambiente de conexão de negócios e de estímulo às novas tecnologias para que possamos apresentar essas soluções inovadoras. O nosso propósito é acelerar o futuro da indústria por meio da inovação aberta junto às startups”, continua Macena. 

Segundo o superintendente, o FIEMG Lab 4.0 possibilita ainda a conexão das startups participantes com grandes parceiros do setor. Os empreendedores vão receber orientação de indústrias-madrinhas e parceiras do programa, como Usiminas, Anglo American, Vale, Gerdau, RHI Magnesita, Fiat Chrysler (FCA), além de possibilitar o acesso à rede da FIEMG, que conta com mais de 15 mil indústrias. 

“A vantagem de participar de um programa assim é exatamente a conexão que se pode fazer entre uma startup e uma demanda real de uma indústria grande, de porte significativo, que muitas vezes encontra nas startups a agilidade necessária para a solução desse problema, desse desafio”, avalia Gustavo Macena. 

Paulo Lopes, cofundador da Beyond Mining, é um dos selecionados para o programa. Ele explica que a startup, com sede em Belo Horizonte (MG), pensa em soluções para indústrias de mineração usando inteligência artificial (IA).

“Surgimos no final de 2019 da inquietação da subutilização dos dados no dia a dia da operação de mina. E para solucionar essa dor que vai de ponta a ponta no processo, nós desenvolvemos uma IA pensada especificamente para esse desafio, que usa os dados que já são monitorados no dia a dia da operação. Introduzimos tudo isso em plataformas on-line, com interface supersimples, pensadas no usuário final”, detalha Lopes.

Para ele, participar desse programa de aceleração é uma oportunidade única para a empresa recém-formada. “O FIEMG Lab consegue ser a cola, consegue juntar tudo que há de melhor, desde o ecossistema da inovação à conexão com as indústrias que estão na vanguarda da inovação, justamente para fazer nossas soluções rodarem e serem efetivamente úteis no mercado, nas mineradoras e nas indústrias correlatas”, comemora Paulo Lopes. 

Crescimento 

A startup Evoy, de São Paulo, também é uma das selecionadas para essa etapa do FIEMG Lab. “Somos uma startup especialista em soluções para gestão e interconectividade de ativos com inteligência aplicada a processos de negócios. O nosso propósito, basicamente, é ajudar empresas na gestão desses ativos utilizando tecnologias inovadoras, como internet das coisas e big data, tudo dentro do contexto da indústria 4.0”, explica o sócio da Evoy, Hélio Silva. 

Ele afirma que o programa será uma grande oportunidade de mostrar o trabalho desenvolvido por eles. “Vai nos ajudar a mostrar nossa proposta de valor para grandes empresas e, quem sabe, gerar novos negócios. Além da oportunidade de relacionamento, vai ajudar a melhorar a nossa participação nos processos de inovação aberta”, acredita Silva. 

Para o futuro, ele espera que novas portas se abram para a realização do sonho. “O programa da FIEMG é com certeza um passo na direção certa no caminho que planejamos para crescer e nos tornar uma referência dentro do mercado em que atuamos”, finaliza o empresário. 

Lab

O FIEMG Lab 4.0 é um programa de aceleração com foco integral em startups B2B com soluções para a indústria, chamadas indtechs. De forma pioneira no país, inspirado nos grandes polos industriais internacionais, o programa implementou no Brasil um modelo de aceleração tecnológica combinada à aceleração de negócios. Esse modelo permite o impulsionamento das soluções tecnológicas das startups do programa e garante uma maior aderência delas à realidade da indústria.

Segundo levantamento da Federação, mais de 150 startups em todo o Brasil já passaram pelo programa, gerando mais de 1,5 mil conexões com o mercado.

A lista com as 50 startups selecionadas do FIEMG Lab 4.0 está em fiemglab.com.br

Foto: Agência Brasil

Leia mais

Leia também