Ferramentas digitais garantem continuação do projeto ‘Musica na Escola’

Compartilhe

As atividades não presenciais estão a todo vapor entre os alunos da Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Colégio Estadual do Espírito Santo, em Vitória. A professora de Altas Habilidades, Simone Clarindo, está colocando em prática o projeto “Música na Escola”, utilizando ferramentas digitais durante o período de distanciamento social.

“Para manter a interação com os alunos, eu projetei uma atividade na perspectiva da aprendizagem sobre a história dos ritmos e gêneros musicais no Brasil. Fiz a orientação através de um grupo de WhatsApp, que é a ferramenta que a gente vem utilizando para essa comunicação. Passei o conceito de ritmos e gêneros musicais, suas diferenças e sugeri que produzissem vídeos contando sobre o ritmo escolhido por eles”, contou a professora.

Os alunos produziram vídeos de forma prática e teórica, como explicou Simone Clarindo. “A parte teórica foi o incentivo à pesquisa sobre o gênero musical, em que a gente consegue direcionar o aluno a pesquisar e praticar o que aprenderam. Envolve as disciplinas de História e Geografia: na História, que conta sobre a música no Brasil e na Geografia, como se compreende nas regiões predominantes, cada gênero musical. Eu vejo esse projeto com grande formação de abrangência dos alunos na música brasileira”, afirmou.

A estudante da 2ª série do Ensino Médio, Kerolly Samela Conceição, fez a lição completa. Gravou dois vídeos, um apresentando a parte teórica, que foi o que ela pesquisou e aprendeu. “O sertanejo é totalmente brasileiro e teve início mais ou menos em 1910 com canções feitas por caipiras, pessoas que moravam em zona rural. Hoje é um dos ritmos mais escutados no Brasil. Goiás é o estado que representa o gênero musical no País”, explicou a aluna.

O outro vídeo gravado pela estudante representa a aprendizagem na prática, em que ela canta a música “No Rancho Fundo”, de Chitãozinho e Xororó, uma das duplas consideradas ícones da música sertaneja. “Essa canção é maravilhosa e tem um grande significado pra mim”, comentou.

A professora Simone Clarindo lembrou, ainda, que cinco de suas alunas estão participando do “Festival Brasil de Todos os Ritmos”, como a estudante Kerolly Samela Conceição, Ana Carolina Silva, Deborah Borges Peixoto, Laila Oliveira Máximo e Israele Lima.

Saiba mais sobre o “Festival Brasil de Todos os Ritmos”, no site www.brasildetodososritmos.com.br

Leia também

Litro da gasolina deve ficar R$ 0,81 mais barato nos postos do Espírito Santo, diz governador

O preço do litro da gasolina deve ficar R$ 0,81 mais barato nos postos do Espírito Santo. O...

Governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, testa positivo para Covid-19

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), divulgou, na manhã desta segunda-feira (4), que testou positivo para...

5G estreia no Brasil nesta quarta; veja aparelhos compatíveis e como usar a conexão

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O 5G puro começa a funcionar em Brasília nesta quarta-feira (6), após a...

Bueiro é construído no Santa Angélica, agora, são 81 em um ano e seis meses

A secretaria de Transportes e Estradas da prefeitura de Barra de São Francisco, com seus funcionários construíram mais...

Bruno Gagliasso compra 20 toalhas com rosto de Lula para presentear amigos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ator Bruno Gagliasso,40, afirmou que comprou 20 toalhas estampadas com o rosto...

Punido por sinalizador, Richarlison perde estreia do Tottenham no Inglês

Os fãs de Richarlison e dos Spurs vão precisar esperar mais do que o planejado para ver a...

Prefeito autoriza início das obras de urbanização e pista de caminhada no Condomínio dos Anjos

O prefeito de Barra de São Francisco, Enivaldo dos Anjos assinou nesta sexta-feira, 1º de julho, a Ordem...

Lula tem 43% contra 30% de Bolsonaro no estado de São Paulo, diz Datafolha

CAROLINA LINHARES SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a corrida...