Fapes realiza workshop em parceria com o Sebrae para contemplados dos editais de inovação da Fundação

Serviços tecnológicos para incentivar a inovação no Estado foi o tema do workshop realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado (Sebrae-ES). O evento aconteceu na tarde dessa terça-feira (18), em formato virtual, e reuniu empresários e empreendedores contemplados nos editais da Fapes “Centelha ES” e “Apoio a Projetos Inovadores e Spin-Off”.

“No serviço de fomento à inovação e ao empreendedorismo é importante apresentar aos empresários selecionados nas chamadas públicas da Fapes as parcerias existentes e os serviços que são prestados por esses parceiros. O Sebrae é um exemplo. Dessa forma, os projetos, que já foram avaliados por um crivo rigoroso da Fundação, podem se desenvolver de forma mais eficaz”, explicou a gerente de inovação da Fapes, Luciana de Paiva, sobre a realização do evento em parceria.

Luciana de Paiva ainda comentou a importância de eventos como o workshop para a inovação no Espírito Santo. “Esses workshops têm a função de ajudar os projetos contemplados pela Fapes a alcançarem bons resultados e também de fazer com que essas parcerias se fortaleçam. Assim, todo o ecossistema de inovação do Estado ganha”, afirmou.

O objetivo do evento on-line foi apresentar aos contemplados algumas soluções tecnológicas que o Sebrae oferece, que possam contribuir para o desenvolvimento dos projetos selecionados pela Fundação, em especial os serviços tecnológicos disponibilizados pelo SebareTec. “Através do SebraeTec, os contemplados nas chamadas públicas podem ter acesso a um conjunto de serviços oferecidos especialmente para as empresas. Serviços com foco na inovação”, explicou a Analista da Unidade de Acesso a Inovação e ao Mercado do Sebrae-ES, Vanessa Gusmão Silva.

A analista também abordou o custo dos serviços oferecidos pelo SebraeTec. “Para esses empresários e empreendedores os custos são bem baixos. Isso porque, a maior parte é paga pelo próprio Sebrae devido à parceria que temos com a Fapes. E ainda temos algumas consultorias que são gratuitas nas áreas de marketing, planejamento e finanças”, comentou Vanessa Gusmão Silva.

A Fapes e o Sebrae são parceiros há muitos anos com o objetivo comum de desenvolver novos negócios e a inovação no Espírito Santo.

Participantes do workshop

João Vitor Valdo Freire, de 26 anos, é empreendedor e inscreveu sua empresa, quando ainda era um projeto, nos Editais Centelha e Spin-Off da Fapes. A Endelevo, que desenvolve produtos inovadores para a área da construção civil, foi contemplada nas duas chamadas públicas, além de editais nacionais e internacionais, por desenvolver módulos de fachadas ventiladas de eficiência tecnológica, arquitetônica e estética, integrados à captação de energia solar térmica, eólica e por vibrações.

“Eu já conhecia o SebraeTec, através de grupos do Whatsapp, mas não a fundo, como foi apresentado no workshop. Gostei da iniciativa do evento, porque os serviços apresentados podem contribuir muito para minha empresa, que ainda está na fase de testes. Eu vou analisar, junto dos outros profissionais da Endelevo, todos os pontos e ver o que realmente é cabível para empresa”, contou João Vitor Valdo Freire.

Outro participante do workshop foi Breno Valentim Nogueira, de 42 anos. Nogueira é professor do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e do Departamento de Morfologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e é sócio cotista da BioBone, empresa capixaba que trabalha com bioengenharia tecidual em enxertos ósseos e foi selecionada no Edital Spin-Off.

“Fui surpreendido pela quantidade de serviços oferecidos pelo SebraeTec! Não sabia que oferecia serviço de prospecção tecnológica, desenvolvimento de website e mídias digitais, por exemplo. São serviços que podem ajudar muito as startups”, afirmou Breno Valentim Nogueira.

A BioBone é fruto de um projeto de mestrado em Biotecnologia e hoje está incubada no espaço empreendedor da Ufes, além de receber as mentorias e aporte financeiro do Programa Centelha. A empresa desenvolve um biomaterial ósseo com preço acessível, a partir de tecido ósseo bovino natural descelularizado, liofilizado e enriquecido com hidrogel contendo substâncias estimulantes próprias do tecido ósseo.

“No momento buscamos a certificação do nosso produto junto à Anvisa, mas certamente iremos buscar os serviços apresentados no workshop para criação de website e divulgação do produto nas mídias sociais”, informou Breno Valentim Nogueira.

Edital Centelha ES

O Programa Centelha visa a estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no Espírito Santo. O programa oferece capacitações, recursos financeiros e suporte para transformar ideias em negócios de sucesso. O primeiro edital do Programa foi lançado no Estado em setembro de 2019 e recebeu 3.556 propostas. Um recorde nacional.

A chamada pública investe mais de R$ 3 milhões em 53 propostas contratadas que já estão executando seus projetos. A contratação aconteceu em 2020 e os projetos selecionados estão recebendo mentorias para o desenvolvimento de seus produtos.

A iniciativa é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), operada pela Fundação CERTI e, no Espírito Santo, é executada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Edital de Apoio a Projetos Inovadores e Spin-Off

A chamada pública da Fapes 01/2020 – Apoio a Projetos Inovadores e Spin-Off foi lançada com o objetivo de conceder recursos não reembolsáveis, por meio de subvenção econômica, para o desenvolvimento de produtos (bens/serviços) ou processos inovadores em empresas capixabas e estimular o surgimento e fortalecimento de novas empresas derivadas, as spin-offs.

O Edital recebeu 126 submissões e, desse total, 58 empresas foram contratadas até o momento. A contratação aconteceu em março de 2021 e a chamada pública se encontra na fase de convocação das empresas suplentes.


Leia mais

Leia também