Fapes financia pesquisas sobre poluentes aquáticos realizadas em parceria internacional

Pesquisadores vinculados a instituições de pesquisa e inovação presentes no Espírito Santo podem receber fomento para investigações científicas sobre recursos hídricos, por meio da chamada transnacional Aquatic Pollutants 2020. O edital conta com a participação de 32 organizações de financiamento em 26 países. Dessa forma, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) destina € 100 mil (cem mil euros) para apoiar até dois projetos.

Os interessados devem submeter as pré-propostas, em inglês, até o dia 16 de abril, por meio da Plataforma da Chamada Aquatic Pollutants 2020. É necessário o envolvimento de parceiros de pesquisa elegíveis de, ao menos, três países participantes do edital. Os projetos terão financiamento por um período de até 36 meses.

O envolvimento do Brasil no acordo internacional se deve à atuação do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), que aderiu à chamada junto à União Europeia, por meio das ações Water Joint Programming InitiativeJPI Oceans e The Joint Programming Initiative on Antimicrobial Resistance (JPIAMR).

Uso dos recursos da Fapes

O apoio financeiro oferecido pela Fapes poderá ser utilizado para capital, custeio e pagamento de bolsas. Para capital e consumo, o proponente deverá observar os itens que podem ser financiáveis, de acordo com a Resolução CCAF 217/2018.

No caso das bolsas, a Fapes autoriza a concessão nas modalidades de Iniciação Científica, Mestrado e DTI (A, B e C). Para solicitação de bolsas, o proponente deverá levar em conta os valores disponibilizados no site da Fapes.

Aquatic Pollutants 2020

No total, são cerca de 22 milhões de euros a serem destinados ao fomento de projetos de pesquisa e inovação que estabeleçam abordagens integradas e intersetoriais para gerenciamento de riscos. Deve-se combinar as áreas de pesquisa de contaminantes de interesses emergentes, patógenos e resistência antimicrobiana. Será considerado todo o ciclo da água, desde a nascente até as bacias hidrográficas e, eventualmente, os oceanos.

Ainda existem grandes riscos associados à ocorrência de contaminantes emergentes, patógenos e bactérias resistentes a antimicrobianos em nossos corpos d’água e oceanos. Um dos objetivos da Aquatic Pollutants é fazer com que as comunidades de pesquisa nos setores de água doce, água marinha e saúde trabalhem juntas e criem sinergias para abordagens conjuntas. Dessa forma, é possível enfrentar os desafios de maneira abrangente e desenvolver soluções multidisciplinares e práticas para o fornecimento de água potável segura e a manutenção de ambientes aquáticos saudáveis.

Temas

Os pesquisadores interessados devem submeter propostas de pesquisa e inovação dentro de, pelo menos, um dos seguintes temas:

– Medição: comportamento ambiental dos contaminantes de interesse emergente (CECs), patógenos e resistência antimicrobiana nos ecossistemas aquáticos;
– Avaliação: avaliação de risco e gerenciamento dos CECs, patógenos e bactérias resistentes a antimicrobianos nos ecossistemas aquáticos (terrestre, costeiro e marinho) para a saúde humana e meio ambiente; e
– Tomada de medidas: estratégias para reduzir os CECs, patógenos e bactérias resistentes a antimicrobianos em ecossistemas aquáticos (terrestre, costeiro e marinho).

Cronograma – Chamada Aquatic Pollutants 2020

– Abertura da Chamada: 17 de fevereiro de 2020
– Prazo para pré-propostas: 16 de abril de 2020
– Convite para apresentação de propostas completas: junho 2020
– Prazo final para propostas completas: 14 de agosto de 2020
– Anúncio da decisão de financiamento: outubro de 2020
– Início dos projetos: de dezembro de 2020 a março de 2020
– Término do projeto: 30 de junho de 2024.

SERVIÇO:
Chamada Aquatic Pollutants 2020
Informações gerais da chamada em inglês (ERA-NET)
Informações gerais da chamada em português (Confap)
Diretrizes da Fapes

Leia mais

Leia também