Família do interior de Vila Pavão resgata sementes para produzir mudas de espécies ameaçadas

A Secretaria de Meio Ambiente de Vila Pavão está promovendo uma campanha junto à população com a finalidade de coletar sementes de espécies nativas para produção de mudas que serão utilizadas em reflorestamento e ornamentação de áreas públicas, como parques, canteiros e pátios de escolas.

A ação tem como objetivo básico, desenvolver um trabalho de conscientização ambiental capaz de promover a conciliação da preservação ambiental com a elevação da qualidade de vida humana, a partir do uso socialmente justo e ecologicamente sustentável da diversidade biológica.

Ao encontro da ação da Prefeitura, uma família do interior vem realizando, já há algum tempo, com recursos próprios e mão de obra familiar, o trabalho de resgate da flora da região, através da seleção de sementes de espécies nativas para a produção de mudas que depois são doadas aos agricultores e empresários do ramo da extração de granito para recompor áreas degradadas.

Pedro José Rodrigues, a esposa, Vanderleia, a filha, Maria Helena, e o filho, Pedro Henrique, ex-estudante do CEIER, organização escolar que dialoga, sobretudo, com a realidade do campo,  procuram preservar os preceitos ecológicos e sustentáveis da identidade campesina e tradicional, praticada pelos avós.

A família é uma espécie de guardiã das plantas da região. Pedro Henrique, um jovem de 15 anos, consegue identificar, apenas com um olhar, as peculiaridades e nome de qualquer espécie ao seu redor. Esse conhecimento das plantas, ele herdou do pai e dos avôs.

Andando pela propriedade da família, localizada no Córrego São Sebastião, há cerca de cinco quilômetros de distância da sede de Vila Pavão, pai e filho mostraram com orgulho áreas reflorestadas e uma nascente recuperada, graças ao plantio de variadas espécies nativas produzidas de forma natural, sem insumos químicos, a partir de sementes colhidas na natureza ou doadas por agricultores da região.

A família, no passado, possuiu um viveiro próprio, chegando a produzir 13 mil mudas, mas a seca e as dificuldades financeiras, inviabilizaram o projeto.

Segundo o Pedro, existe uma sutil diferença entre as mudas produzidas a partir das sementes colhidas na região e mudas provenientes de outras regiões e municípios. O agricultor chegou a citar o caso de um empresário da região que, ao reflorestar uma área degradada com mudas vindas de outro Estado, teve mortandade muito grande. O contrário ocorreu quando recorreu às suas mudas produzidas a partir de sementes colhidas na região que se adaptaram muito bem ao solo.

Parceria

A secretária de Meio Ambiente, Marilza Klitzke Durães, acompanha e incentiva o trabalho de resgate da flora local que a família desenvolve. “A convite da Vanderleia, fui conhecer a propriedade e conversando com o Pedro e o Pedro Henrique, adquiri muito conhecimento. Admiro o trabalho deles e, a partir de então, os vejo como conselheiros. Na propriedade deles, existe um acervo com diferentes espécies, algumas até ameaçadas de extinção, difíceis de encontrar”, comentou a secretária.
A família vem contribuindo com doações de espécies, como ipê mirim, ipê roxo, peroba, açaí, jabuticaba, palmeiras e jacarandá azul, utilizados em projetos de reflorestamento, desenvolvidos pelas escolas da rede municipal, embelezamento de ruas, praças e parque da cidade.


Leia mais

Leia também