Ex-vereador Biel da Farmácia comemora absolvição em processo • SiteBarra

Ex-vereador Biel da Farmácia comemora absolvição em processo

» O ex-vereador, Josiel Santana, o Biel da Farmácia

O ex-vereador, Josiel Santana, o Biel da Farmácia, está comemorando a absolvição em um processo contra ele por supostos atos de improbidade administrativa.

Na época, o Ministério Público do Estado do Espírito Santo, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Nova Venécia, ajuizou Ação Civil Pública, alegando que Josiel teria interferido na marcação de exames e consultas em diversos órgãos de saúde.

Em conversa com a Rede Notícia, Biel comemorou a decisão. Confira abaixo.

Processo
“Esse processo teve início em 2018, quando então vereador eleito em 2016, com maior votação no município (977 votos), decidi colocar o meu nome à disposição para concorrer a eleição de deputado estadual de 2018, fato que incomodou muitos atores políticos que pleiteavam o mesmo cargo. A inveja e o desejo do poder a qualquer custo desencadearam esse injusto processo”.

Desenrolar
“A princípio, a Câmara de vereadores, na pessoa do ex-presidente da época, não deveria nem ter aceito a denúncia, por se tratar de denúncia anônima, sem nenhuma fundamentação ou indício de irregularidade, contrariando a resolução vigente na Câmara de Vereadores, que veda essa prática. Mas eu não dei muita importância na época, pois sabia que nada tinha feito de errado, porém, com o desenrolar dos fatos, percebi que pessoas do meio político, por inveja e outros maus sentimentos, queriam acabar com minha imagem. Aí sim, procurei me defender com mais afinco”.

Processo Administrativo
“Foi a primeira denúncia anônima aceita na história da Câmara Municipal de Nova Venécia, sem fundamentação nenhuma, contrariando as normas da Casa, que foi aberto um Processo Administrativo contra um vereador. Uma vez aberto o processo, os vereadores da época apuraram tudo, ouviram todos, eu disse todos que visitaram meu gabinete em um período de um ano, funcionários da Câmara, da Secretaria de saúde, funcionários do hospital, e nada foi constatado de errado. Fui absolvido por unanimidade e o processo foi arquivado. Foi está minha primeira vitória nesse imbróglio.

Processo judicial
“O Ministério Público, cumprindo seu papel, solicitou abertura de um processo judicial para apurar os mesmos fatos apurados na Câmara. Mesmo eu sendo inocentado administrativamente na Câmara Municipal. Nesse dia em que o MP ofereceu a denúncia, foi um dos piores dias da minha vida, pois o foi publicada a denúncia, na íntegra, em seu site e a mídia deu ênfase a esse fato com tanto ardor, que a população, através da divulgação nas redes sociais na época, decretou minha condenação social, sem mesmo a justiça ainda, sequer, ter aceitado a denúncia. Fui “condenado” sem mesmo ter um processo. Uma vez o processo aceito pela justiça, o juizado em primeira instância seguindo os passos legais, ouvindo pessoas e apurando os fatos e provas presentes nos autos do processo, me absolveu, fazendo verdadeira justiça aos fatos. Mesmo assim, o MP, novamente cumprindo sua obrigação, recorreu da decisão.

2ª instância e recurso
“Nesta terça-feira (23), decorridos 4 anos do processo e de custos para mim, para a Câmara Municipal e para o Estado, em audiência na 1ª Câmara Civil em Vitória, foi julgado o recurso do Ministério Público, sendo apreciado o relatório da Desembargadora Janete Vargas Simões. A justiça novamente me absolveu, fazendo justiça aos fatos”.

Sentimento
“Para alguns, isso foi apenas uma coisa normal da política. Porém, na verdade, um processo que nasceu com cunho de inveja, maldade, calúnia, eleitoreiro, que gerou danos irreparáveis em minha família, amigos, e, principalmente, em mim. Quanto a parcela da sociedade veneciana que na época me condenou, ela também foi vítima das mentiras e calunias apresentadas, como eu, pois foi enganada e levada a acreditar no que foi noticiado, “condenando-me” sem mesmo eu poder me defender a altura dos ataques que na época sofria. Isso tudo me decepcionou e me envergonhou muito, inclusive fazendo com que me afastasse de pessoas e instituições”.

Futuro político
“Exerci meu mandato de vereador com muita probidade e respeito à população, desempenhando o verdadeiro papel que cabe ao vereador. Com o desfecho deste processo, sigo no cenário político de Nova Venécia, se não com mandato, mas participando e opinando sobre as questões que visam melhorar a qualidade de vida de nossos munícipes. Função pública e cargos públicos não são prioridades para continuar ajudando minha cidade, mas, se ocorrer, será no tempo e na vontade de Deus”.

Agradecimentos
“De alma lavada, agradeço em primeiro lugar a Deus e Nossa Senhora Aparecida, que me guiou e protegeu de todo o mal. Agradeço minha família, que ficou em todos os momentos ao meu lado, agradeço ao meu advogado, Antônio Marcos Campo Dall’orto, o Kim Campos, que trabalhou arduamente e cansou os ouvidos me ouvindo dizer que era inocente, agradeço a ex-servidora, Ângela, que passou todo esse sofrimento junto comigo e, também, a parcela da sociedade que sempre acreditou em mim. Por fim, agradeço a justiça, por ter reconhecido a minha inocência em todas as instâncias possíveis, fazendo com que eu cumprisse a promessa que tinha feito à minha mãe quando entrei na política: “Entro limpo na política e sairei limpo, honrando o nome da minha família”.