Ex-presidente da Braskem é condenado a 20 meses de prisão nos EUA por corrupção


247 – O ex-presidente da Braskem José Carlos Grubisich foi condenado a 20 meses de prisão nos Estados Unidos, informou nesta terça-feira (12) o Departamento de Justiça (DoJ) americano. 

De acordo com a acusação, Grubisich e outros funcionários da Braskem e da Odebrecht (atualmente rebatizada de Novonor) criaram um fundo secreto milionário para subornar funcionários públicos e partidos políticos do Brasil, garantindo contratos com a Petrobrás. O esquema teria ocorrido entre 2002 e 2014.

Delatores da extinta Operação Lava Jato, o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef afirmaram que a Braskem pagou propina para ser beneficiada em contratos com a Petrobras.

A Braskem e a Odebrecht se declararam culpadas das acusações criminais como parte do acordo fechado com a Justiça norte-americana.