‘EUA não se importam com fatos’, diz Pequim após Biden falar em investigação sobre origem do coronavírus


Sputnik – O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, acusou os Estados Unidos de não estarem interessados ​​em um “rastreamento científico sério” das origens do SARS-CoV-2, afirmando que a Casa Branca “não se preocupa com os fatos e a verdade” sobre o assunto.

Na quarta-feira (26), o presidente norte-americano Joe Biden prometeu pressionar a China a participar de uma investigação internacional completa sobre as origens do coronavírus e dar acesso a todas as evidências relevantes.

Zhao descreveu a posição do governo Biden como uma “total desconsideração dos fatos e da ciência”. Segundo ele, o presidente “ignora totalmente as dúvidas sobre o trabalho de rastreamento da origem e o fracasso da resposta à pandemia nos Estados Unidos“.

O porta-voz argumentou que a situação “mostra plenamente que os EUA querem usar a pandemia para estigmatizar e manipular politicamente e se esquivar da responsabilidade”.

“Isso é desrespeitoso com a ciência e irresponsabilidade com a vida das pessoas. Além disso, prejudica a unidade global de esforços para combater a pandemia”, criticou Zhao.

Ele também instou os EUA a se abrirem para investigações em seus próprios laboratórios biológicos, incluindo os localizados na Diretoria de Pesquisa de Defesa Biológica do Centro de Pesquisa Médica Naval, em Fort Detrick, em Maryland.

“Também quero enfatizar que a base de Fort Detrick está cheia de suspeitas. Existem mais de 200 laboratórios biológicos dos Estados Unidos espalhados pelo mundo. Quantos segredos existem?”, questionou Zhao, apelando a Washington para “cooperar imediatamente com a Organização Mundial da Saúde [OMS] sobre a pesquisa de rastreamento de origem de forma científica”.


Leia mais

Leia também