EUA anunciam sanções à Rússia, que reage: “ataque hostil”


Sputnik. Os EUA seguiram o exemplo da União Europeia e impuseram nesta terça-feira sanções contra a Rússia pela suposta produção de armas biológicas e químicas. Segundo a chancelaria, as sanções dos EUA representam um ataque hostil anti-russo

A Rússia respondeu às acusações dos Serviços de inteligência dos EUA, que insinuaram nesta terça-feira (3) que o Serviço Federal de Segurança da Rússia envenenou o oposicionista Aleksei Navalny.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, classificou a decisão de Washington como absurda e um ataque hostil que não afetará a política de Moscou.

“Os EUA seguiram o exemplo da União Europeia no início do dia para impor sanções contra a Rússia pela suposta produção de armas biológicas e químicas. A lista inclui 14 organizações e vários indivíduos. A Rússia negou repetidamente todas as alegações dos EUA relacionadas ao caso Navalny, dizendo que os países ocidentais ignoraram os pedidos de Moscou por materiais comprovativos”, afirmou.

Zakharova disse que a imposição de sanções é uma provocação deliberadamente arranjada com o alegado “envenenamento” de Navalny.

Segundo ela, “tudo isso é apenas uma desculpa para continuar a interferência aberta em nossos assuntos internos. Não temos a intenção de tolerar isso. Vamos reagir com base no princípio da reciprocidade, não necessariamente simetricamente”.

“Pedimos aos nossos colegas para não brincar com fogo”, assinalou Zakharova.

Os EUA anunciaram sanções à Rússia logo após a União Europeia impor a proibição de viagens aos países do bloco e congelamento de ativos de pessoas físicas a pelo menos quatro autoridades russas.

​Washington endurecerá as limitações às exportações à Rússia, ao mesmo tempo que incluem em sua lista de sanções nove institutos russos. “As ações que tomamos hoje [2] são uma reação ao envenenamento de Aleksei Navalny em agosto do ano passado”, disse uma autoridade do governo norte-americano.

María Zaharova, porta-voz da chancelaria russa

María Zaharova, porta-voz da chancelaria russa (Foto: Sputnik)

Leia mais

Leia também