Estudo mostra maior reciclabilidade do alumínio

Compartilhe

O Instituto Internacional do Alumínio está divulgando um estudo inédito, que contou com a contribuição da Associação Brasileira do Alumínio (Abal), comparando a cadeia de valor de reciclagem de três embalagens de uso único (ou seja, não retornáveis), para bebidas: alumínio, vidro e plástico (PET). De acordo com a Abal, o levantamento utilizou informações de cinco mercados que são considerados chave, ou seja, Brasil, EUA, Europa, China e Japão. 

O estudo mostra que, comparadas às outras embalagens, as latas de alumínio apresentam um índice de reciclagem quase duas vezes maior do que os outros materiais. Assim, enquanto as latas de alumínio têm um índice de 71%, o PET chega a 40% e o vidro apenas 34%. 

A Eunomia, consultoria contratada pelo IAI para realizar o estudo, avaliou o ciclo de vida das embalagens e sua importância para a economia circular, considerando a eficiência do processo de reciclagem de cada material. Neste caso, novamente o alumínio se sobressai, já que as perdas do metal em parâmetros como classificação, reprocessamento e refusão são de 10%, enquanto vidro e PET registram 33% e 34%, respectivamente. 

“O estudo do IAI mostra que o alumínio é uma solução pronta e vantajosa quando se pensa em sustentabilidade e economia circular. O levantamento também corrobora a posição protagonista da indústria brasileira do alumínio na cadeia de valor da reciclagem de latas para bebidas, consequência, principalmente, dos investimentos empreendidos no estabelecimento de centros de coleta, distribuídos em todas as regiões do país. Isso sem falar do valor social e econômico representado pelo ecossistema da reciclagem no Brasil, que une o governo, a indústria, a sociedade e as cooperativas de catadores”, afirma Janaina Donas, presidente-executiva da ABAL.

Principais dados do estudo

  • 2 em cada 3 latas de alumínio são recicladas. Uma delas volta às prateleiras em menos de 60 dias; a outra é transformada em diversos produtos recicláveis.
  • Conteúdo médio de material reciclado: lata de alumínio – 33%; Garrafa de vidro – 20%; Garrafa PET – 7%. 
  • Índice de embalagens não coletadas que acabam em aterros: Vidro – 49%; PET – 28%; Alumínio – 21%. 

O estudo pode ser acessado na íntegra aqui<\/a>. 

Foto: Brasil Mineral/DivulgaçãoFoto: Brasil Mineral/Divulgação

Leia também

Soldado da Polícia Militar é preso suspeito de matar homem em distribuidora de bebidas no Espírito Santo

  O soldado da Polícia Militar do Espírito Santo, Lucas de Figueiredo Pereira, de 37 anos, está preso suspeito de...

Lote 2: fotos do show de Michel Teló no 1º Leilão Solidário de Barra de São Francisco

Aconteceu neste sábado, 6 de agosto de 2022, o 1º Leilão Soldiário de Barra de São Francisco. O...

Incêndio destrói parte de memorial de comunidade quilombola no Norte do Espírito Santo

  Incêndio destrói parte do Ponto de Memória Jongo de Santa Barbára, em Conceição da Bárbara, norte do Espírito...

Leilão dos imóveis da Prefeitura de Barra de São Francisco será no dia 24 de agosto

A Prefeitura de Barra de São Francisco marcou para o dia 24 de agosto de 2022, o leilão...

Candidatos ao Senado pelo Espírito Santo em 2022: veja a lista

Nomes dos candidatos foram definidos durante as convenções partidárias, que se encerraram em 5 de agosto. Partidos tem...

Com vetos, Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2023 é sancionada

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2023, que define as...

Homem é encontrado morto com marcas de tiros em Barra de São Francisco

O corpo de um homem de 30 anos, identificado como Ademir Peca Cassemiro, foi encontrado caído com perfuração...

Seag e DER/ES liberam fornecimento de 6,6 mil m² de material para calçamento no córrego do Itá

O Governo do Estado, através do Departamento de Edificações e de Rodovias (DER-ES) e da Secretaria Estadual de...