“Esse é o maior ataque à democracia que já vi na vida”, diz vereador afastado pela justiça

O vereador de Nova Venécia, Pedro Gonçalves (Podemos), divulgou uma nota oficial sobre a decisão do juiz da 30ª Zona Eleitoral, Thiago de Albuquerque Sampaio Franco, que julgou procedente, em partes, o pedido dos autores e reconheceu fraude ao preenchimento de cota feminina pelo partido Podemos, nas eleições de 15 de novembro de 2020, decretando a nulidade do diploma do parlamentar e a perda do seu mandato eletivo.

De acordo com a justiça, o vereador é acusado de integrar “cúpula da fraude” do Podemos. Veja aqui

Confira a nota completa:

“Esse é o maior ataque à democracia que já vi na vida. Como eu,
cidadão de bem, irei pagar por algo que não fiz, sendo, inclusive, reconhecido a
minha inocência em sentença?

Nunca participei de nenhuma movimentação para escolha dos
candidatos, o que é de cabimento do presidente do diretório municipal da sigla
e o mesmo, no processo, foi condenado apenas à inelegibilidade por oito anos. Apenas
escolhi o partido e fui eleito democraticamente, com 569 votos e a eles, que
depositaram em mim um voto de confiança, peço desculpas pela vergonha que o PODEMOS
nos fez passar.

Quem me conhece, sabe da minha índole, da minha reputação ilibada,
de toda a minha base constituída durante os meus 30 anos e dos meus princípios.

Há dois anos, venho me preparando dentro do RenovaBR para
trazer o melhor para Nova Venécia no que diz sentido à renovação, a uma nova
política para nosso município. Nossos projetos eram muitos e iríamos, juntos,
alavancar rumo ao sucesso.

Não irei recorrer e saio de cabeça erguida por tudo que
comecei a constituir e pela bandeira que consegui levantar dentro da Câmara
Municipal de Nova Venécia: a RENOVAÇÃO.

Agradeço a todos que confiaram em mim durante o processo
eleitoral e não vamos desanimar. O futuro que nos espera é muito maior e irei
me preparar para voltar ainda mais forte.

Obrigado a todos!”


Leia mais

Leia também