Espírito Santo teve 17% do efetivo policial afastado do trabalho por Covid-19

 

Considerados trabalhadores de serviço essencial, os policiais exerceram as suas atividades o mais próximo da normalidade desde o início da pandemia do coronavírus. No Espírito Santo, a Covid-19 levou ao afastamento de 17,59% das tropas das polícias Civil e Militar e à morte de seis agentes, durante 2020.

A informação é de Glacieri Carraretto, do G1 ES, com dados de um levantamento do G1 com base em informações das secretarias de Segurança Pública de todos os estados.

A pesquisa faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os pedidos foram feitos para as assessorias de imprensa das corporações e por meio da Lei de Acesso à Informação.

Dos 10.132 policiais civis e militares do Espírito Santo, 1.782 foram afastados do trabalho devido à doença, algum sintoma dela ou mesmo por fazer parte de um dos grupos de risco. Seis profissionais da segurança capixaba morreram.

Entre o quantitativo afastado em algum momento ao longo do ano de 2020, 1.429 eram militares, sendo que cinco faleceram. Já na Polícia Civil, o número de afastados foi de 353, com um óbito.

Em comparação com os outros estados, o Espírito Santo foi o 19º com mais afastamentos.

Em todo o Brasil, foram 126.154 policiais fora dos postos de trabalho para se cuidar da infecção provocada pelo coronavírus. A Covid-19 provocou, somente no ano passado, a morte de 465 policiais. É mais que o dobro do número de agentes assassinados nas ruas do país em 2020.

A doença também tem afetado diretamente a rotina nas corporações. Um em cada quatro policiais brasileiros foi afastado das atividades em algum momento durante a pandemia por apresentar sintomas, fazer parte de algum grupo de risco ou ter de fato contraído o novo coronavírus.

ES teve 17% do efetivo policial afastado do trabalho por Covid-19 — Foto: Divulgação/Sesp

ES teve 17% do efetivo policial afastado do trabalho por Covid-19 — Foto: Divulgação/Sesp

Leia mais

Leia também