Espírito Santo tem o pior índice de isolamento social desde 18 de março

O Espírito Santo registrou nesta sexta-feira (19) o pior índice de isolamento social desde o dia 18 de março. De acordo com dados do In Loco, empresa de tecnologia que usa dados enviados por aplicativos para aferir deslocamentos dos usuários, apenas 35,3% das pessoas ficaram em casa.

Até então, o pior índice – do dia 18 de março – era pouco menor, de 35%. Mas, naquela época, o Governo do Estado ainda nem havia determinado o fechamento do comércio não essencial como forma de conter o avanço do coronavírus. A medida só foi anunciada no dia 20 de março e passou a valer no dia seguinte.

Atualmente, nos municípios considerados de alto risco para a Covid-19, o comércio pode abrir de forma alternada, de segunda a sexta-feira.

O pico de isolamento aconteceu no dia 22 de março, um domingo, quando 64,7% da população ficou em casa. Desde então, as taxas variaram.

Na média brasileira, a taxa ficou em 34,7% nesta sexta-feira. Na comparação com outros estados do Sudeste, o Espírito Santo só ficou abaixo do Rio de Janeiro, que registrou índice de 36,2%. Em todo o Brasil, nenhum estado ultrapassou os 40% de isolamento na data.

Dados do Governo do ES

Os dados do Inloco diferem dos números divulgados do site coronavirus.es.gov.br, painel público do Governo do Espírito Santo.

As informações são fornecidas pelas operadoras de telefonia móvel, que monitoram o deslocamento dos usuários de celulares – os dados são aglutinados e anonimizados para não desrespeitar a privacidade do cada cidadão.

O painel foi criado pelo Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest) em formato Power BI.

No painel, os dados desta sexta-feira ainda não foram computados. O último índice é de quinta-feira (18), com 45,20%. Pelo In Loco a taxa de isolamento do mesmo dia foi de 38,5%.

Leia mais

Leia também