Espírito Santo registra mais de 70 mortes por Covid-19 nas últimas em 24 horas, diz secretário de Saúde

 

O Espírito Santo registrou o maior número de mortes por Covid-19 em 24 horas desde o início da pandemia. Foram mais de 70 mortes entre esta segunda (22) e terça-feira (23). A informação, passada pelo secretário de estado da Saúde, Nésio Fernandes, durante coletiva de imprensa, diz Any Comeeti, da TV Gazeta.

Até essa segunda-feira, o estado tinha 361.717 casos confirmados e 6.981 mortes por Covid-19. Com o número de óbitos atualizado pelo secretário, o Espírito Santo passa de 7 mil morte pela doença.

“Estamos entrando em um momento crítico que nos obriga a adotar estratégias duras. As pessoas precisam se sensibilizar com as perdas. Tivemos 72 mortes nas últimas 24 horas”, apelou o secretário.

De acordo com o Laboratório Central (Lacen), sete variantes de coronavírus estão em circulação no Espírito Santo, entre elas a B.1.1.7, descoberta no Reino Unido.

“Existe a possibilidade grande de que a variante inglesa esteja em maior circulação no nosso estado. Ela tem uma transmissão maior que as outras. Quem até hoje negou a doença, precisa entender que é real”, afirmou.

Com isso, o secretário de Saúde alertou, sobretudo, para os riscos dessa variante britânica, que causa casos mais graves em pessoas mais jovens.

“Foram irresponsáveis e indevidas todas as festas realizadas pela juventude neste um ano. É o momento de a juventude entender que é o momento de ficar em casa. Os jovens vão morrer em uma proporção não vista em outros momentos da pandemia com a circulação de outras variantes no país”, disse Nésio.

Segundo o secretário, os hospitais particulares do Espírito Santo não estão conseguindo absorver todos os pacientes que têm planos de saúde e condições financeiras de pagar um leito.

“Estamos preparando uma nova portaria para estabelecer o senso de leitos da rede privada. A partir desta semana devemos ter a alimentação dos leitos da rede privada. Em diversos hospitais públicos do estado, pacientes com plano de saúde, inclusive turistas, estão internados sem conseguir remoção para hospitais privados”, disse.

O gerente Estadual de Vigilância em Saúde do Espírito Santo, Orlei Cardoso, e o secretário de estado da Saúde, Nésio Fernandes — Foto: Divulgação/Sesa-ES

O gerente Estadual de Vigilância em Saúde do Espírito Santo, Orlei Cardoso, e o secretário de estado da Saúde, Nésio Fernandes — Foto: Divulgação/Sesa-ES

Leia mais

Leia também