Espírito Santo negocia vacinas contra a Covid-19 e já tem plano de imunização elaborado, diz governo

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) disse, nesta quinta-feira (3), à reportagem de A Gazeta, que está conversando com os laboratórios Pfizer e Moderna sobre a aquisição de vacinas contra a Covid-19. Entretanto, apesar de já ter elaborado um plano de imunização estadual, o Estado aguarda que o governo federal coordene um plano nacional para que a vacinação seja igualitária em todo o país.

“Hoje mesmo já vi notícias de um município de São Paulo que já está fazendo acordo com a Pfizer, já vi uma notícia de que São Paulo quer começar a vacinar os paulistas em janeiro. Os brasileiros não podem ser tratados de forma desigual, a gente precisa ter o governo federal coordenando isso porque, se vai vacinar primeiro o grupo de risco ou o profissional de saúde, todos do Brasil têm que ser vacinados ao mesmo tempo”, disse.

A declaração foi feita durante uma palestra do governador no Vitória Summit 2020. A vacina da Pfizer, fabricada no Reino Unido, tem 95% de eficácia, segundo os pesquisadores.

  • Vacina da Pfizer usa tecnologia chamada de RNA mensageiro; veja como funciona
  • COMPARATIVO: 4 vacinas contra a Covid apresentam taxas satisfatórias de eficácia e de segurança
  • INSUMOS, APROVAÇÃO E TRANSPORTE: o caminho até a vacinação contra a Covid-19

Em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo nesta sexta-feira (4), o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, disse que o Estado já está preparado para começar a imunização dos capixabas assim que houver vacina disponível. Para isso, já foram adquiridos os insumos necessários, como seringas e agulhas.

“O Espírito Santo se preparou para essa pandemia em todas as áreas, na questão dos leitos, dos exames, e, agora, para a vacinação. Nós elaboramos um plano estadual de vacina. Precisa desse plano para dizer como o município se organiza, como ele agenda, se vai abrir ponto de vacinação a mais, se está precisando contratar mais pessoas para a sala de vacina. O Espírito Santo tem mais de 500 salas de vacina, então nós nos preparamos para fazer essa organização da vacinação”.

Reblin destacou que a vacinação deve seguir uma ordem de prioridade em todo o mundo, começando pela imunização das pessoas em grupo de risco e profissionais da saúde.

“A gente precisa compreender que o mundo não tem vacina suficiente para uma vacinação geral, coletiva, de todas as pessoas. Então o Ministério da Saúde está anunciando que deveremos ter, como é na gripe, grupos que vão receber a vacina primeiro, porque são aquelas pessoas que têm mais risco de adoecer de forma grave e ir a óbito”.

Entretanto, Reblin lembrou que ainda não há uma previsão de quando começará a vacinação no Espírito Santo, tendo em vista que a corrida pela vacina ainda está acontecendo.

“O Ministério anunciou que a partir de março a vacina estará disponível. É claro que o mundo está acelerando a vacinação, já temos países iniciando a vacina de pessoas, a gente tem a expectativa positiva de que isso possa ajudar os órgãos de liberação aqui no brasil, anvisa e o próprio ministério, a trazer mais agilidade a vacinação. Resolvida essa parte, nós estamos preparados assim que chegar”, disse.

Nesta sexta-feira (4), deve ser anunciada a atualização semanal do mapa de risco do Estado. Reblin adiantou que o número de municípios em risco moderado deve aumentar, mas que nenhum deva chegar a risco alto.

“Muito provável que o número de municípios em amarelo seja aumentado. Nesse momento, é improvável alguém no risco vermelho, mas vai depender dos números no dia de hoje”.

Leia mais

Leia também