Espírito Santo já recebeu 128 denúncias de fura-filas na vacinação contra a Covid-19

 

O Espírito Santo já recebeu 128 denúncias de fura-filas na vacinação contra a Covid-19 até a primeira semana do mês de abril. Esse foi o maior motivo das denúncias recebidas pelo governo do estado com relação à vacinação. Ao todo, o estado recebeu 140 denúncias.

As outras denúncias foram sobre desvio de vacina por agente público (1), extravio de dose (1), falsa aplicação de doses (2), venda de vacina (1) e demais motivos (7). Além das denúncias, o estado também recebeu três reclamações relacionadas aos fura-filas.

O levantamento foi apresentado pelo ouvidor do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado, Rafael Vulpi Caliari em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (14).

De acordo com o ouvidor, três cidades responderam que vão apurar os fatos ou iniciar procedimento administrativo disciplinar. Ele não detalhou quais são esses municípios. Um hospital particular relatou a abertura de uma sindicância.

De todas as manifestações que chegaram até a ouvidoria, a maioria delas era de responsabilidade dos municípios (225); 78 eram de atribuição do estado, quatro do Ministério da Saúde e sete foram encerradas por falta de informações.

Também presente na coletiva, o secretário estadual de Controle e Transparência, Edmar Camata, anunciou que a secretaria lançou uma auditoria da vacinação no Espírito Santo. Ele explicou que será criado uma lista para preenchimento dos municípios a respeito da aplicação das doses.

“Teremos auditorias físicas, presenciais, especialmente nos municípios onde estão localizadas as redes de frios: Colatina, São Mateus, Cachoeiro e Vitória. E teremos também auditorias em municípios dentro dessas redes de frios, onde foram identificadas dentro da matriz de risco volume de atendimento, postos de vacinação, risco de atendimentos realizados. Que são Ecoporanga, João Neiva, Vila Velha e Guaçuí”, explicou.

O secretário disse ainda que alguns municípios estão com eficiência na aplicação de vacinas e, por isso, têm pouco estoque de doses: Divino de São Lourenço, Muniz Freire, Irupi, Domingos Martins e Afonso Cláudio.

A previsão da secretaria é de que o primeiro relatório de auditoria da vacinação seja divulgado no dia 3 de maio, mas dois municípios já foram alertados porque estão com vacinas a vencer nos próximos dias. O secretário não apontou quais são essas cidades.

Todos os trabalhadores de saúde do sistema público do Espírito Santo deverão estar vacinados a partir do dia primeiro de maio deste ano, sob pena de sanções. A informação foi dada pelo secretário de Saúde, Nésio Fernandes, também na coletiva.

“Aquele que não receber a vacina, passará a contabilizar faltas e inacessibilidade ao local de trabalho, que poderá levar a descontos salariais e outras punições”, enfatizou Nésio.

Leia mais

Leia também