Espírito Santo divulga plano para volta às aulas e manifesta ‘interesse’ para retomada em outubro

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), anunciou nesta sexta-feira (4), que tem “interesse” em retomar as aulas presenciais das instituições da educação básica em outubro. Um plano de retomada foi divulgado pelo governo e será disponibilizado para consulta pública.

Em todo o estado, as aulas presenciais estão suspensas desde o dia 17 de março, como forma de conter o avanço da pandemia do novo coronavírus.

Na última semana, o Governo do Estado já autorizou retorno das atividades no ensino superior a partir de 14 de setembro.

“Temos interesse em retornar com outros níveis da educação básica a partir de outubro. O primeiro a retornar, certamente, será o ensino médio, mas vai depender de uma avaliação até o final do mês. O nosso interesse é ir retornando com atividades presenciais dentro do protocolo já anunciado pela Educação e Saúde”, disse Casagrande.

Tal protocolo prevê as medidas a serem adotadas nas instituições de ensino para que a retomada seja segura para alunos e funcionários. “Não será todo mundo ao mesmo tempo na sala de aula. Seguiremos uma série de medidas”, disse o governador.

Consulta pública para plano de retomada

Na coletiva de imprensa desta sexta-feira, o Governo do Estado também divulgou o “Plano de Retomada das Aulas Presenciais para a Educação Básica nas escolas da Rede Estadual”.

Com as atividades suspensas até, pelo menos, o próximo dia 30 de setembro, o documento estará, a partir deste sábado (5), disponível para consulta pública no site da Secretaria de Educação (Sedu). A população tem até o dia 14 de setembro para manifestar suas opiniões.

O plano foi elaborado pela Sedu em diálogo com sindicatos e associações da área.

“É importante dizer que o plano não é um anúncio de volta, mas são medidas de segurança para, quando houver um retorno, tudo seja feito com segurança. A consulta pública é uma maneira transparente de mostrar o que está sendo proposto”, disse o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo.

Medidas

O plano prevê o retorno às aulas presenciais das escolas públicas estaduais, em regime de revezamento semanal, gradual e em etapas.

O uso das atividades remotas por meio do Programa EscoLAR passou a ser considerado carga horária letiva a partir de 1º de julho de 2020.

Com isso, mesmo com o retorno às aulas presenciais, as atividades e os recursos disponibilizados à distância complementarão as atividades dos encontros presenciais, constituindo um modelo híbrido da oferta educativa.

Quando for definida a retomada, as unidades escolares deverão observar procedimentos técnicos e sanitários.

  • Aspectos pedagógicos

Seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que é a de diminuição da circulação de pessoas, haverá também a diminuição de alunos por turma, ficando 50% presencial e outros 50% não presenciais, por meio das APNPs.

O retorno das aulas será por etapas, sendo a primeira para a Semana de Acolhimento dos Professores.

Uma semana depois, será a Etapa 2, com retorno para alunos do Ensino Médio, Educação Profissional e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A Etapa 3 se dará na sequência, com um intervalo de 15 dias, para o Ensino Fundamental Anos Finais; e, por último, a Etapa 4, também seguindo um intervalo de 15 dias, será para o Ensino Fundamental Anos Iniciais.

  • Aspectos psicossociais

O plano sugere às escolas reservar um tempo para ouvir como os profissionais estão e como se deram as vivências dos mesmos no período de isolamento.

Este momento deverá servir também para a orientação sobre os protocolos de higienização e de convivência, o que deve ser reforçado insistentemente para o devido cumprimento.

Para os alunos, o plano também traz orientações para o acolhimento com atividades que trabalhem a comunicação das diretrizes de biossegurança, mas também para ouvir sobre o que eles viveram e sentiram durante o distanciamento social.

  • Aspectos sanitários

O plano traz recomendações da OMS, bem como as orientações do Ministério da Saúde e da Sesa::

– Funcionários na portaria com equipamento de proteção individual (EPI) para borrifar álcool (70º) nas mãos dos estudantes e funcionários;

– Todos devem ser orientados a entrar separadamente, preservando a distância mínima de 1,5 metro em relação aos outros;

– Desinfecção de mãos: incentivar e demonstrar a correta lavagem das mãos com água e sabão; e disponibilizar álcool 70% em locais de fácil acesso;

– Uso de máscaras: o uso de máscaras de proteção individual é obrigatório;

– Medição de temperatura: usar termômetro digital de testa para aferir a temperatura, diariamente, dos estudantes, professores e demais profissionais da escola.

  • Aspectos administrativos

O plano traz orientações quanto aos profissionais que apresentem algum tipo de comorbidade (que estejam dentro do grupo de risco) e apresenta também as devidas orientações para que este público possa seguir em trabalho remoto, dando continuidade à execução das Atividades Pedagógicas Não Presenciais (APNPs), por meio do Programa EscoLAR.

 

Leia mais

Guia destinado ao setor público orienta sobre projetos de Parcerias Público-Privadas

Representantes do setor público e demais interessados em Parcerias Público-Privadas (PPPs) já podem ter em mãos o guia de referência sobre a alocação correta...

Projeto “Adote uma árvore” será lançado nesta segunda-feira em Nova Venécia

  A Prefeitura de Nova Venécia, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em parceria com o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente...

MT: 420km de estradas serão asfaltadas em parcerias entre prefeituras e Estado

Em Mato Grosso, cerca de 420 quilômetros de rodovias serão asfaltadas pelo Governo do Estado em parceria com 12 prefeituras. Esse é o resultado de...

PE: Fiocruz sequencia 39 genomas do novo coronavírus em estudo que ajuda entender circulação do vírus

Um projeto elaborado pela Fiocruz Pernambuco realizou o sequenciamento genético de 39 genomas do novo coronavírus que circula no estado. A pesquisa levou em...

Leia também