Espírito Santo deve retomar cirurgias eletivas a partir de maio, diz secretário

O Governo do Espírito Santo quer retomar em maio as cirurgias eletivas. Essas atividades estão suspensas desde janeiro por causa do agravamento da pandemia da Covid-19.

A informação foi dada pelo secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, em coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta (16).

“O Espírito Santo, em um momento crítico, suspendeu as atividades eletivas que comprometem os recursos hospitalares. Cerca de quatro mil cirurgias eletivas são realizadas por mês no estado. Devemos, no início do mês de maio, retomar atividades hospitalares que foram suspensas e atividades eletivas”, disse.

Para Nésio, nas próximas semanas haverá uma redução na demanda por internação hospitalar, o que vai refletir na queda do número de mortes pela doença.

“Passaremos a observar uma redução na pressão por internação hospitalar, ocupação de leitos de enfermaria e UTI nas próximas duas ou três semanas no estado, e mais à frente acompanharemos essa redução na curva de óbitos”, destacou.

O secretário falou ainda que a queda no número de casos pode ser mais rápida do que em ondas anteriores da doença.

“Podemos viver uma queda no número de casos mais rápida e consolidada do que a descida em curvas anteriores. Por isso, é importante que a população compreenda a matriz de risco e as medidas adotadas, preservando restrições a atividades sociais e econômicas”, enfatizou Nésio.

Também nesta sexta, Nésio Fernandes disse, mais uma vez, que o estado negocia a compra de vacinas contra a Covid-19 por conta própria. No entanto, não afirmou quando essas vacinas devem ser compradas, tampouco o laboratório que deve fornecê-las.

O próprio secretário já havia dito que o estado negociava compra direta de vacina em janeiro deste ano.

Em fevereiro, o governador Renato Casagrande (PSB) disse que colocou o estado à disposição para comprar vacinas contra a Covid-19 e entregar ao Ministério da Saúde.

Nésio também comemorou o fato de que, nesta sexta-feira, nenhum paciente amanheceu aguardando leitos por mais de 24 horas no estado.

“Tivemos hoje uma situação que nos deixa felizes, nos preenche de esperança, e nos dá resultados da quarentena. Na manhã do dia de hoje em toda a rede pré-hospitalar, nenhum paciente amanheceu aguardando mais de 24 horas na central de regulação de leitos do Samu e do estado. Alcançamos uma capacidade de absorção de casos novos, ao mesmo tempo que houve uma queda sustentada”, disse.

Secretário de Saúde, Nésio Fernandes, e o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, em coletiva de imprensa nesta sexta (16) — Foto: Divulgação/Sesa

Secretário de Saúde, Nésio Fernandes, e o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, em coletiva de imprensa nesta sexta (16) — Foto: Divulgação/Sesa

Leia mais

Leia também