Especialistas do ES pedem cautela nas festas de fim de ano ou ‘segunda onda da Covid-19 chegará como presente de Natal’

Com a proximidade das festas de fim de ano, o risco da ocorrência de aglomerações que podem fazer subir ainda mais os números da pandemia do coronavírus preocupa especialistas. Uma cartilha divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) nesta semana recomenda que as celebrações sejam feitas apenas com as pessoas que moram na mesma casa.

Para a pesquisadora capixaba Margareth Dalcolmo, que atua na Fiocruz, as comemorações podem ter efeitos devastadores em todo o país.

“Eu acho que a segunda onda chega ao Brasil trazida de maneira perversa como presente de Natal e ano novo. Um presente perverso que poderíamos ajudar a evitar”, disse.

Leia também: Covid-19 e fim de ano: especialistas e entidades recomendam festas virtuais para Natal e Ano Novo

Uma grande preocupação com relação a um possível “boom” de casos após as festas é a sobrecarga no sistema de saúde que isso pode causar. Se mais pessoas ficarem doentes ao mesmo tempo, não haverá leitos para todos.

Nesta quinta-feira (17), o sistema atualizado pelo Governo do Estado mostra que a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva para o tratamento de Covi-19 está em 82%. Das 595 vagas da rede estadual, 490 já têm pacientes.

“Nós já estamos vendo o sistema de saúde, tanto de consultas ambulatoriais quanto de internações hospitalares, completamente exaurido. Temos filas de pessoas esperando para receber tratamento quando elas complicam. Continuamos a conclamar as pessoas que repensem festas, celebrações, a juventude que está saindo, se reunindo, aglomerando”, alertou a pesquisadora.

A infectologista Ana Paula Burian destacou que outros países já estão sentindo as consequências das celebrações de feriados, a exemplo do que pode acontecer por aqui.

“Teve uma publicação recente do New York Times falando do aumento de casos em 1,4 milhão dos Estados Unidos após o feriado de Ação de Graças”, disse. Na ocasião, americanos se deslocaram pelo país para encontros familiares. O aumento foi registrado no período de sete dias.

Diferente das festas e aglomerações registradas em bares, que reúnem, em sua maioria, frequentadores jovens, as comemorações de Natal podem expor ao vírus pessoas idosas e com comorbidades.

“As pessoas, além de fazerem aglomerações familiares, vão fazer aglomerações com gente que é idosa, grupos de risco, que ficou quietinha dentro de casa o ano todo. É o momento que as pessoas querem se reencontrar. Aí, tiram as máscaras e vão fazer reuniões para se alimentar. É a hora de maior risco de contaminação”, alertou Ana Paula.

“Quanto mais pessoas você reúne, mais chance você tem de se infectar. Sempre que se encontrar, seja em local aberto, ou com janelas abertas, é importante ter esse fluxo de ar e o distanciamento físico. A gente precisa ter consciência que esse Natal vai ser diferente”, completou a infectologista e pesquisadora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Ethel Maciel.

Em relação ao Réveillon, Dalcolmo enfatizou que as festas em áreas abertas não garantem a segurança dos participantes.

Na Grande Vitória, municípios como Vitória, Vila Velha e Guarapari já suspenderam a queima de fogos na virada para incentivar que as pessoas não se aglomerem. No mês passado, o subsecretário de Vigilância em Saúde afirmou que não haveria festas nas praias.

“Achar que fazer festas ao ar livre, luaus, celebrações com todo mundo sem máscara, juntinho, não vai dar certo. […] A transmissão da Covid-19 se dá, sem dúvida nenhuma, ligada ao ambiente. Quanto mais fechado o ambiente, quanto mais próximas as pessoas estão, maior a transmissão. No entanto, estar em uma festa ao ar livre com todo mundo pertinho, vai transmitir para muita gente”, disse a pesquisadora.

Na cartilha emitida pelo Fiocruz, as recomendações abrangem cuidados para serem tomados nas festividades em casa, na forma de preparar e servir alimentos e orientações sobre quem deve prevenir os encontros. Veja:

Recomendações de segurança

“Nenhuma medida é capaz de impedir totalmente a transmissão da Covid-19. Para diminuir os riscos, siga as orientações a seguir:

Use máscara sempre que não estiver comendo ou bebendo;

Tenha um saco para guardar a máscara quando estiver comendo ou bebendo e a mantenha limpa e seca entre os usos;

Tenha uma máscara limpa extra, para o caso de necessidade de troca (tempo de uso, umidade ou sujeira);

Evite aglomerações e mantenha a distância de, pelo menos, 2 metros entre os participantes;

Evite apertos de mão ou abraços;

Dê preferência a locais abertos ou bem ventilados. Evite o uso de ar-condicionado;

Lave as mãos com frequência durante o evento com água e sabão ou use álcool;

Não compartilhe objetos, como talheres ou copos;

Após tocar em objetos que estejam sendo compartilhados com outros convidados (ex: utensílios para servir a comida, jarras e garrafas), lave as mãos com água e sabão ou álcool.

Orientações para festividades em casa

Ambientes e convidados

Limite o número de convidados de acordo com o tamanho do espaço, permitindo que as pessoas mantenham distância de 2 metros entre si;

Oriente seus convidados a levarem suas próprias máscaras;

Evite música alta para que as pessoas não tenham que gritar ou falar alto. Caso alguém esteja contaminado com o vírus, lançará um número maior de partículas virais no ambiente;

Dê preferência a locais abertos ou bem ventilados. Evite o uso de ar condicionado;

Não deixe que os convidados formem filas para serem servidos;

Oriente os convidados a não se sentarem todos reunidos na hora da ceia. Organize espaços separados para pessoas que moram juntas;

Tenha sabão e papel para secagem de mãos disponíveis no banheiro. Evite o uso de tolhas de pano;

Disponibilize álcool em gel nos ambientes;

Utilize lixeiras com pedais para que as pessoas descartem seus lixos sem precisar colocar as mãos na tampa. Lave as mãos após esvaziar a lata de lixo.

Preparo e forma de servir os alimentos

Lave as mãos antes de preparar a comida e use máscara durante o preparo;

Limite o número de pessoas no ambiente em que a comida estiver sendo preparada ou manuseada;

Caso ofereça bebidas, disponibilize-as em embalagens individuais (latas ou garrafas), arrumadas em baldes com gelo, para que as pessoas possam se servir sozinhas;

Ofereça condimentos, molhos para salada ou temperos embalados individualmente, sempre que possível;

Evite o compartilhamento de utensílios para servir a comida.

Pratos e bebidas em recipientes não individuais devem ser servidos por uma única pessoa. O responsável deve lavar as mãos antes de servir e sempre usar a máscara;

Após o evento, lave toda a louça em água corrente e com detergente, ou use a máquina de lavar louças.

Pessoas que devem evitar os encontros

Se pretende receber convidados ou celebrar em outro local, verifique se você:

Está com sintomas relacionados à Covid-19 ou já tem o diagnóstico da doença;

Ainda está no período de 14 dias desde que teve os primeiros sintomas relacionados à Covid-19 (mesmo que não tenha feito um teste de diagnóstico);

Está aguardando o resultado de um teste molecular para saber se está com Covid-19;

Manteve contato com alguém que teve a doença nos últimos 14 dias.

Nos casos acima, mantenha o isolamento domiciliar. Não convide pessoas para sua casa, não faça visitas, nem frequente eventos.

Caso você… faça parte ou mora com alguém que faz parte do grupo de risco para casos graves de Covid-19 (portadores de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal crônica em estágio avançado, imunodepressão provocada pelo tratamento de doenças autoimunes, como lúpus ou câncer; pessoas acima de 60 anos de idade, fumantes, gestantes, mulheres em resguardo e crianças menores de 5 anos)

…proteja-se e proteja sua família. Fique em casa e celebre apenas com as pessoas que já moram com você.

Fonter: g1-es

Leia mais

Leia também