Escolas particulares em Goiás terão que apresentar planilhas de custos para renegociação com pais de alunos, exige Procon

O Procon de Goiás passou a exigir que as escolas particulares do estado apresentem, em dez dias, as planilhas de custo elaboradas no início do ano letivo. O objetivo é de que exista uma checagem para verificar se os valores cobrados estão de acordo com o combinado, considerando-se, também, a pandemia da Covid-19. 

Segundo o superintendente do órgão de defesa do consumidor, a ideia é garantir e resguardar o direito à informação, para que os pais ou responsáveis pelos alunos possam renegociar as mensalidades e gastos. Caso a escola descumpra a determinação, que foi confirmada pela Justiça em Ação Civil Pública, pode sofrer multa de R$ 5 mil por dia. 

Estudo aponta que redes municipais de ensino devem sofrer perda de até R$ 31 bi na arrecadação em 2020

Por conta da pandemia, FNDE antecipa e adapta repasses para escolas e secretarias de educação

GO: Sancionada lei que cria Secretaria da Retomada

 

Agência Brasil


Leia mais

Leia também