Escola de Colatina trabalha o tema ‘Preconceito e Estereótipos’ com os alunos do Ensino Fundamental

A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Aristides Freire, localizada em Colatina, trabalhou com os estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental o tema “Preconceitos e estereótipos: como se configuram na sociedade atual?”.

O trabalho teve como propósito enriquecer o saber dos estudantes a respeito do Dia Estadual de Promoção da Igualdade Racial, celebrado no dia 13 de maio, além de fomentar reflexões para a mudança de postura e pensamentos, dialogando sobre o respeito ao próximo, independentemente de sua cor, credo ou etnia.

A ação permitiu reflexões sobre a forma de tratamento, dignidade e igualdade destinada aos negros. Esses também foram os pontos focais abordados pela palestrante Eliane de Fátima Inácio, fundadora do movimento de mulheres negras de Colatina e região Zacimba Gaba.

Sob responsabilidade da área de Linguagens, com a participação de todo corpo docente da Escola, a professora Adelúcia Aparecida Suprani Faria conduziu toda a atividade e destacou: “é de suma importância explorar esse tema para que nossos alunos possam crescer como cidadãos respeitosos e tolerantes às diversas etnias que constituem nosso País.”

Como participantes da atividade, diversos alunos falaram sobre o assunto. “O tema trabalhado foi muito bom, pois ajuda os alunos a refletirem sobre suas ações no dia a dia, a melhorar seus procedimentos e tratar melhor as pessoas. O preconceito e o racismo são reais na sociedade”, disse o estudante Mateus de Jesus Santos.

Segundo a diretora Eloiza Comério, surge dos alunos a necessidade de refletir e conhecer a diversidade da formação do povo brasileiro, bem como as heranças e preconceitos velados a respeito da população negra brasileira. “Momentos assim oportunizam a melhoria do processo ensino e aprendizado e oferecem reflexões para a desconstrução de pré-conceitos, além de estarem alinhada ao conteúdo previsto no currículo escolar”, afirmou a diretora Eloiza Comério.

Entre as atividades desenvolvidas estavam:

– Exibição de documentários, produção e leitura de textos contemplados com atividades e formulário on-line, com correção e disponibilização de informações sobre as dúvidas a respeito do conteúdo;

– Ciclo de palestras reflexivas on-line e presencial e reflexões sobre as lideranças negras que fazem a diferença e trazem à tona às violências sofridas, os avanços alcançados ao longo destes anos.

 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sedu
Mirela Marcarini / Geiza Ardiçon / Soraia Camata

 


Leia mais

Leia também