ES: protesto contra a alta da gasolina distribui cupons de desconto para abastecimento

Cem cupons têm desconto de R$ 2 por litro de combustível, com máximo de 20 litros para carros e 10 litros para motos.

Petroleiros distribuíram cupons de desconto em protesto contra alta da gasolina — Foto: Divulgação/Sindipetro-ES

Petroleiros distribuíram cupons de desconto em protesto contra alta da gasolina — Foto: Divulgação/Sindipetro-ES

Um protesto realizado na manhã desta quarta-feira (17) contra o aumento no preço dos combustíveis distribuiu cupons de desconto para motoristas e motociclistas na Reta da Penha, em Vitória, na frente da sede da Petrobras.

Na semana passada, a companhia aumentou pela sexta vez neste ano os preços da gasolina e do diesel nas refinarias. Desde o início do ano, a gasolina acumula alta de 54% nas refinarias, enquanto o diesel subiu 41,6%.

Petroleiros distribuíram cupons de desconto em protesto contra alta da gasolina — Foto: Divulgação/Sindipetro-ES

Petroleiros distribuíram cupons de desconto em protesto contra alta da gasolina — Foto: Divulgação/Sindipetro-ES

Os 100 cupons distribuídos em Vitória têm desconto de R$ 2 por litro de combustível, com máximo de 20 litros para carros e de 10 litros para motos.

O ato foi promovido pelo Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro-ES) em conjunto com a Associação dos Motoristas de Aplicativos (Amapes). De acordo com os organizadores, o desconto representa o preço justo do combustível se não fosse a atual política de preços imposta pelo governo federal.

Petroleiros distribuíram cupons de desconto em protesto contra alta da gasolina — Foto: Divulgação/Sindipetro-ES

Petroleiros distribuíram cupons de desconto em protesto contra alta da gasolina — Foto: Divulgação/Sindipetro-ES

A última alta dos combustíveis aconteceu em meio aos trâmites para a substituição do presidente da petroleira, após intervenção do presidente Jair Bolsonaro.

As sucessivas altas nos combustíveis este ano irritaram o presidente Jair Bolsonaro, que indicou o general Joaquim Silva e Luna para substituir Roberto Castello Branco no comando da estatal. O mandato de Castello Branco, no entanto, termina em 20 de março, e ele segue no cargo.

A troca provocou um forte forte abalo nas ações da companhia, que chegou a perder R$ 75 bilhões em valor de mercado em um só dia.

 

Leia mais

Leia também