ES: polícia identifica grupo especializado em invadir apartamentos de luxo

Compartilhe

A Polícia Civil do Espírito Santo identificou integrantes de uma quadrilha especializada em invadir apartamentos de luxo em vários estados do país. Os suspeitos têm de 18 a 41 anos. A informação é de Fabiana Oliveira e André Falcão, do g1 ES e TV Gazeta.

Vídeos de momentos em que integrantes do grupo entraram em condomínios e saíram com objetos furtados e roubados de imóveis na Grande Vitória foram divulgadas nesta terça-feira (19) pela polícia.

Uma jovem que, segundo a polícia, fazia parte do grupo, foi presa no último sábado (16). Um vídeo mostra o momento que a paraguaia Tamara Romina Ramos Dimas, de 18 anos, e um comparsa invadiram um apartamento no bairro Mata da Praia, em Vitória, depois que ela entrou ao se passar por moradora. Eles arrombaram a porta de um apartamento e torturam uma mulher de 59 anos e a mãe dela, de 97.

Ao todo, foram roubados R$ 30 mil em joias, 20 mil dólares, 20 mil euros e R$ 10 mil em espécie. Tamara acabou presa e foi autuada por tentativa de latrocínio e tortura. Ela também tinha mandado de prisão em aberto pelo roubo a um apartamento em Copacabana, no Rio de Janeiro. Os outros dois suspeitos conseguiram fugir, mas já foram identificados pela polícia.

De acordo com o delegado Gianno Trindade, ao todo foram identificados 11 integrantes do grupo criminoso e oito deles já foram denunciados.

Os suspeitos denunciados , que tiveram as imagens divulgadas nesta terça, são Emanoelle Borges da Silva de 19 anos, Lucas Gentilcore Almeida de 20 anos, Maurício Gomes de Oliveira de 23 anos, Maycon Gomes de Oliveira de 18 anos, Vitor Elias Said de 22 anos, Elysson Oseias Magalhães de Souza de 35 anos, Valter Alves da Silva Junior de 41 anos e Celso Alves da Rosa Junior de 33 anos. Segundo a Polícia Civil, alguns já estão presos.

Integrantes de quadrilha especializada em invasão a prédios de luxo — Foto: Polícia Civil/ Divulgação
Integrantes de quadrilha especializada em invasão a prédios de luxo — Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Além deles, Tamara e os dois suspeitos do roubo do último sábado também fazem parte da quadrilha, mas não tiveram os nomes divulgados, porque ainda não foram denunciados.

As investigações apontaram que os integrantes do grupo estão envolvidos em invasões a condomínios nos estados de São Paulo, Bahia, Minas Gerais e também nos bairros Enseada do Suá, em Vitória e Itapoã, em Vila Velha, na Grande Vitória. O grupo também teria invadido residências de famosos na Bahia, como Ivete Sangalo e Bell Marques.

“Temos relatos de condomínios na Bahia de cantores famosos, de artistas, no Rio de Janeiro e essa menina de sábado teria participado de um furto na região de Copacabana”, disse o delegado.

Câmeras flagraram dupla de assaltantes que invadiu condomínio em Vitória — Foto: Reprodução

Câmeras flagraram dupla de assaltantes que invadiu condomínio em Vitória — Foto: Reprodução

O delegado disse ainda que os criminosos são especializados em furtos, mas muitas vezes entram em apartamentos com os moradores e, quando fazem isso, são violentos.

Um dos casos foi à invasão a uma cobertura no ano passado em Vitória quando uma grávida foi agredida com uma chave de fenda. No caso do último sábado, na Mata da Praia, eles entraram porque tocaram a campainha e ninguém abriu.

“O que impressiona é que quando evolui para o roubo eles são extremamente agressivos. No caso do Vitória By eles agrediram a grávida e ordenaram que a mãe a amarrasse. No caso de sábado foram feitas várias ameaças com a chave de fenda, e para obter informações, passaram a torturar os moradores até conseguirem as informações que queriam. O porteiro que deteve a mulher foi agredido e ficou ferido na região da barriga”, contou o delegado.

Segundo o delegado Gianno Trindade, as investigações apontaram que desde 2020 a quadrilha, que é altamente especializada em furtos em condomínios de luxo, vem agindo não só no Espírito Santo mas em todos os estados da federação e cada membro tem funções pré-estabelecidas de forma hierárquica.

“Eles selecionam as vítimas por meio de dados que hoje podem ser acessados pela internet por meio de sites específicos e bancos de dados adquiridos na dark web, furto de hackeamento. Alguns contém nossa foto e assinatura, onde você mora, qual carro e empresa você tem. Infelizmente esses dados podem ser consultados pela internet. Estamos falando de uma nova forma de agir, que não seria aquela forma da “fita dada”, informação que partiu de uma empregada, um funcionário ou algum prestador de serviço. Eles já fazem essa pesquisa antes dos crimes, já chegam ao condomínio com três, cinco alvos”, disse o delegado.

Para acessar os condomínios, os criminosos, costumam se aproveitar de erros da portaria, segundo o delegado.

” Sempre eles agem em três indivíduos, um se apresenta à portaria, o outro tenta entrar, após o primeiro entrar e o terceiro fica do lado de fora. Simplesmente se apresentando como morador. Percebemos no caso da prisão da menina no sábado que foi dessa forma. Não houve questionamento sobre quem seria essa menina, ela simplesmente entrou”, disse o delegado.

Outra forma de entrar no condomínio encontrada pelos criminosos é ligar para a portaria se passando pelo dono do imóvel.

Condomínio invadido por ladrões na Mata da Praia, em Vitória

Condomínio invadido por ladrões na Mata da Praia, em Vitória

“A pessoa se apresenta, o comparsa liga já se passando por um morador que realmente mora naquele edifício permitindo a entrada daquele que seria seu parente”, informou o delegado.

Para ter certeza que não tem ninguém em casa, um dos suspeitos fica perto da porta do apartamento enquanto o que está do lado de fora do condomínio faz uma ligação. O indivíduo fica ouvindo a porta pra ver se o morador vai atender.

“Se atender, eles desistem, porque querem ficar na seara do furto. Quando não atendem, eles acreditam estar vazio e arrombam com uma chave de fenda de 25 centímetros e permanecem por cerca 20 minutos levando altos valores dos moradores que eles previamente já tinham escolhido. A predileção é por árabes, orientais, portugueses e judeus por historicamente guardarem altas quantias em suas residências”, informou o delegado.

O delegado Gianno Trindade falou sobre a importância do reforço na segurança e também de seguir as regras dos condomínios.

“O morador nunca deve violar o regimento interno do seu edifício. Alguns impedem que o morador libere o acesso pelo telefone. Importante ressaltar que o porteiro ou o funcionário sempre confirme com o morador se aquela pessoa realmente está autorizada a entrar em sua residência”, orientou.

Outras ferramentas, que segundo ele, podem impedir a entrada de criminosos são, a biometria, reconhecimento facial e câmeras com sensor de movimento.

Leia também

Morre Angela Soto Cunha, ex- coordenadora do curso de Enfermagem da Multivix

  Faleceu nesta segunda-feira, 15, por volta do meio dia, a ex-coordenadora do curso de Enfermagem, da Multivix, Angela...

Homem morre ao ser atropelado pelo próprio carro em Colatina

  Lindomar Marques morreu após ser atropelado pelo próprio carro em Colatina, ES Um homem morreu na manhã desta segunda-feira...

AMAZÔNIA: Linha de crédito oferece R$ 1 bilhão pelo Pronampe

Linha de crédito do Banco da Amazônia (Basa) oferece R$ 1 bilhão em recursos para micro e pequenas...

Calçamento no Poção e Cristalina vai virar realidade

  De acordo com o vereador Juarez Oliosi (PSB), o calçamento na rua que dá acesso ao campo de...

Aposta do Espírito Santo ganha quase R$ 2 milhões na loteria

    Aposta do ES ganhou quase R$ 2 milhões na loteria — Foto: Cau Rodrigues/g1 Uma aposta simples realizada em...

Congresso Aço Brasil será em 23 e 24 de agosto

O Instituto Aço Brasil (IABr) promove, nos dias 23 e 24 de agosto, o Congresso Aço Brasil 2022,...

Programa Prefeitura em Ação realiza mais de uma centenas de atendimentos no interior

Quarenta e oito consultas pacientes hipertensos realizadas, três consultas de gestantes e 24 de pediatria, além de 23...

Mulher é esfaqueada com filho no colo em Boa Esperança

  Na tarde do último sábado (13), uma jovem, de 20 anos, foi vítima de lesão corporal. Ela relatou que...