ES: pai faz brinquedos de papelão para ajudar no desenvolvimento do filho especial

Uma boa história nem sempre precisa de uma folha limpa, em branco, nem da melhor caneta para ser escrita. O segurança Bruno Rosa Batista, de Alto Lage, em Cariacica, na Grande Vitória, tem escrito sobre amor com as mãos e com a tesoura. A reportagem especial é de Elton Ribeiro, da TV Gazeta.

O papel, não é branco, nem novo. Ele faz carrinhos de papelão. E tudo começou para ajudar o filho dele, Asafe Antunes Batista, de 11 anos, que nasceu com um atraso no desenvolvimento.

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

“Começou com meu filho, que faz Apae em Vitória. Ele é muito apegado comigo, e esse brinquedo nos aproximou. Interagimos mais junto, fazendo juntos. Eu fiquei desempregado na pandemia, acompanhei o desenvolvimento dele e criamos esse projeto que ajudou muito o desenvolvimento do Asafe. A riscar, a escrita, interagir mais com a gente”, explicou o pai.

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Os pais explicam que o desenvolvimento de Asafe é como se ele tivesse três anos a menos. A escola o ajudava muito, mas a pandemia interrompeu as aulas. Por isso, algumas atividades precisaram ir para dentro de casa. E foi um carrinho de papel que despertou a criatividade do pai, agora artista.

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Bruno começou a aprender as técnicas na internet, e foi se aprimorando. Entre recortes, colagens e dobraduras, ele transforma o papelão em brinquedos para os filhos. E os carrinhos têm até movimentos: abrem e fecham as portas e capôs.

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

“Comecei a pegar a técnica e criei a minha técnica de abrir o capô e a porta. A do meu professor é tudo fechado, fiz uma marca diferente e dei para os meus filhos, para pintar e personalizar. Aí, nos uniu”, disse Bruno.

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Além dos carrinhos de papelão, o segurança e os filhos fazem também bonecos articulados, que ganham movimentos com a ajuda de canudinhos de plástico.

Além do Asafe, Bruno e a esposa, Priscila, também são pais de Abner, de oito anos. Ele também ajuda na fabricação dos brinquedos e se diverte com o irmão. Ele nasceu depois de Asafe, e é considerado pela família um “anjo” do irmão.

Mais do que ver Asafe e Abner se divertirem juntos, com os bonecos e com os carrinhos de papelão, os pais ficam felizes em ver que o desenvolvimento do filho mais velho não foi prejudicado, apesar da interrupção das aulas. A terapia com papelão tem feito a diferença.

“Ver hoje o prazer de pega rum papel, que não é nada, que você joga fora, e transformar em algo que agrada tanto aos olhos, que eles podem participar e interagir, não tem preço. São memórias que ninguém vai tirar da vida deles”, declarou a mãe.

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

“Isso aqui só veio a somar, agregar como valor de família. Ele me ajuda e eu ajudando ele. Uma criança especial tem suas deficiências, limitações, mas ele nos surpreendeu. A gente aprende mais com ele e sempre com amor”, emocionou-se o pai.

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Pai constrói brinquedos de papelão com os filhos no ES

Leia mais

Leia também