ES: marido de jovem morta com tiro na cabeça diz que disparo foi acidental

O companheiro da jovem Evellin Bernardo de Oliveira, de 20 anos, que morreu com um tiro na cabeça na última sexta-feira (30), se apresentou na delegacia na tarde desta quinta (5) em Vitória.

O homem chegou durante na Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) acompanhado do advogado, não quis gravar entrevista e foi direto prestar depoimento.

O advogado disse que o marido da jovem morta confessou ter disparado a arma. Ele disse à polícia que foi um tiro acidental durante uma brincadeira com a arma.

O caso continua sendo investigado pela DHPM.

Parentes e amigos da jovem cobram explicações sobre o caso. Para a mãe da jovem, a suspeita é de que a filha tenha sido vítima de feminicídio.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela sogra de Evellin, a jovem foi deixada no Pronto-Atendimento (PA) da Praia do Suá com um tiro na cabeça e depois encaminhada ao Hospital Estadual de Urgência e Emergência (Heue), onde não resistiu ao ferimento e morreu.

Na ocasião, a mulher contou à polícia que a jovem tinha saído de casa com amigas para comemorar o aniversário de 21 anos. Dias depois, outros relatos começaram a surgir e levantaram hipóteses sobre o que aconteceu na noite do crime.

A mãe de Evellin, Aline Bernardo, tem recebido áudios de pessoas que dizem ter participado do evento e que ouviram o disparo que matou a vítima.

Segundo testemunhas, Evellin estava em uma festa no Morro da Garrafa, próximo ao local onde ela morava com a sogra e o companheiro. De acordo com uma das testemunhas, um homem teria atirado na jovem acidentalmente. Alguns relatos afirmam que o companheiro de Evellin estava no local.

Esse mesmo companheiro, segundo Aline, já agrediu Evellin quando a jovem estava grávida, mas a polícia ainda não apontou se ele tem ligação com o crime.

“Eu trouxe a minha filha para casa em um caixão, no dia do aniversário dela. Fiz de tudo para trazer a minha filha de volta, e eu trouxe ela em um caixão junto comigo”, disse a mãe da vítima.

Leia mais

Leia também