ES: homem é preso suspeito de mandar matar ex-mulher por conta de divisão de bens

A divisão dos bens do casal após a separação foi o motivo alegado pelo ex-marido da aposentada Lizabeth Garcia Queiroz, Elci Rodrigues Stuckim, 48 anos, para tirar a vida dela. A informação é do G1 ES.

A informação foi divulgada nesta terça-feira (28) pela Polícia Civil após a conclusão do inquérito que investigou o assassinato de Lizabeth.

O crime foi em agosto de 2020. Lizabeth foi encontrada morta com marcas de tiros em um local ermo no bairro Areinha, em Viana, na Grande Vitória, e só foi identificada pela família, dez dias após o assassinato.

Além de Elci, o executor da vítima, Ney Eduardo Bazilio de 44 anos, também foi preso.

As investigações da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) apontaram que o crime foi encomendado por Elci e ele contratou Ney Eduardo para matar a ex-mulher.

De acordo com a titular da DHPM, delegada Raffaela Aguiar, a investigação começou a partir da identificação da vítima pela família porque não havia testemunhas e nem imagens de câmeras de videomonitoramento.

“Foi uma investigação extremamente complexa, porque a vítima estava sem identificação e o corpo em lugar totalmente ermo, usualmente utilizado para manobras de caminhão”, disse.

As prisões dos suspeitos aconteceram em operações sigilosas em julho deste ano.

Ney Eduardo foi preso no dia 29 de julho em Santa maria de Jetibá, interior do estado.

A prisão de Elci foi no município de Vila Velha em 22 de julho.

Nas buscas, os policiais apreenderam uma pistola calibre 9 mm e munição. O suspeito de executar Lizabeth tinha autorização para posse de arma de fogo.

Em depoimento, ele não só confessou o crime mas todas as circunstâncias do assassinato assim como a dinâmica e a motivação.

Elci negou ser o mandante do crime mas confessou o motivo para matar a ex-mulher: a divisão dos bens do casal, que se tornou motivo de disputa após o término do relacionamento.

Segundo a família, Lizabeth era aposentada e morava sozinha há um ano e meio em uma casa no bairro Ataíde, em Vila Velha.

Um dia antes do crime, ela ligou para o filho avisando que iria para um evento da igreja no final de semana e que só voltaria na segunda-feira.

O filho também contou que tentou contato com o celular da mãe no dia que ela disse que retornaria para casa, mas o telefone estava desligado.

Como ela iria para uma área rural com dificuldade de sinal de celular, a família pensou que a mulher ainda não tinha voltado.

Depois de passarem mais dias sem nenhuma notícia, a família começou uma busca pelo paradeiro de Lizabeth até o reconhecimento do corpo no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.

O Inquérito Policial foi concluído, os suspeitos foram denunciados pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) e são réus no processo que tramita na 3ª Vara Criminal de Viana.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), os dois estão presos no Centro de Detenção Provisória de Viana 2.

Corpo de Lizabeth foi reconhecida por familiares 10 dias depois do crime — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Corpo de Lizabeth foi reconhecida por familiares 10 dias depois do crime — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Elci Rodrigues Stuckim (esquerda) é suspeito de contratar Ney Eduardo Bazilio (direita) para matar a ex-mulher — Foto: Divulgação/PCES

Elci Rodrigues Stuckim (esquerda) é suspeito de contratar Ney Eduardo Bazilio (direita) para matar a ex-mulher — Foto: Divulgação/PCES