ES: escola tem aulas presenciais suspensas por conta da violência

Localizada em Nova Palestina, em Vitória, a escola de ensino fundamental Neusa Nunes Gonçalves amanheceu de portas fechadas. O motivo da suspensão das aulas presenciais é a insegurança, já que constantes tiroteios e confrontos entre criminosos vêm sendo registrados na região onde a unidade funciona. A informação é da TV Gazeta.

O aviso sobre o fechamento da escola foi encaminhado aos pais na noite desta segunda-feira (27). No comunicado, a direção da escola explicou que irá procurar a Secretaria de Educação da cidade para discutir sobre o cenário de violência na comunidade. Enquanto isso, as aulas ocorrerão apenas de forma on-line.

A situação de medo, que põe em risco a segurança de alunos e professores, é confirmada pelos moradores do bairro. Uma mulher, que preferiu não se identificar, contou que as próprias crianças estão assustadas.

“Meu filho estuda no Neusa Nunes. Não está tendo aula por causa da violência, do tiroteio. Meus filhos estão com medo de ir para a escola, até mesmo de ir para a rua. Estou querendo mudar daqui porque meus filhos não estão vivendo em paz. Estão com medo”, lamentou.

A Secretaria de Educação de Vitória foi procurada para falar sobre o assunto, mas não se manifestou até o momento.

A Polícia Militar ressaltou em nota que o policiamento no bairro segue intensificado com militares em escala extra, além das equipes da Força Tática e Cimesp, que reforçam o policiamento com operações constantes de ponto base, ponto de bloqueio, saturação e cercos táticos, além do patrulhamento preventivo em toda a região.

Moradores de Nova Palestina já perderam a conta de quantos tiroteios presenciaram nas últimas semanas.

No sábado (25), uma bomba foi detonada e uma casa incendiada por criminosos.

Na última quinta (23), outro tiroteio foi registrado na região. Segundo os moradores, os disparos aconteceram entre 2h30 e 5h. Criminosos teriam entrado no bairro e atirado em direção às casas. Até uma garrafa com combustível foi jogada em uma casa. Por sorte, o fogo apagou.

À noite, policiais militares fizeram uma operação e percorreram várias ruas da região à procura de drogas, armas e criminosos que poderiam estar escondidos.

Também neste mês, um morador encheu as mãos com balas disparadas por criminosos que entraram no bairro se passando por entregadores.

Como Nova Palestina se tornou uma região de conflito entre traficantes, os moradores pedem uma base da polícia no bairro. A violência na região motivou um protesto no dia 13 de setembro.

Escola Neusa Nunes Gonçalves parou de realizar aulas presenciais em função da violência em Nova Palestina

Escola Neusa Nunes Gonçalves parou de realizar aulas presenciais em função da violência em Nova Palestina