ES divulga lista dos 10 criminosos mais procurados do estado

Por mais efetividade que ações policiais tenham, ainda há criminosos que desafiam os sistemas de inteligência e buscas das polícias. No Espírito Santo, 10 desses bandidos figuram em uma lista de prioridade a serem localizados, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp).

São pessoas que possuem acusações gravíssimas, como assassinato. Todos possuem mandando de prisão em aberto expedidos pela Justiça.

O delegado chefe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Romualdo Gianordoli, descreveu que a atual lista é quase totalmente nova, com exceção do traficante Fernando Moraes Pereira Pimenta, o Marujo, de 29 anos.

“Todos respondem por homicídios, mas não são necessariamente eles que mais matam diretamente, mas que autorizam e representam papeis importantes para as respectivas organizações criminosas que pertencem”, observou o delegado.

Além das polícias capixabas, há foragidos que mobilizam a força policial de outros estados, como no caso de Marujo. Ele é apontado pela Polícia Civil como o chefe do tráfico de drogas do Bairro da Penha, em Vitória, e a voz de comando da organização criminosa da cidade.

Marujo e Luan Gomes Faria, de 30 anos, conhecido como Luan Vera, também são procurados no Rio de Janeiro, onde estariam escondidos.

Também integra a lista o traficante que atua em Planalto Serrano, na Serra, Paulo Ricardo Ferreira Souza, o Loló. Segundo a polícia, ele estaria envolvido nas ameaças a jornalistas que aconteceram no bairro no dia 2 de março deste ano.

Gianordoli também pontuou que os procurados que integram a lista ocupam um lugar de comando na hierarquia do tráfico de drogas e que a prisão deles representa mais que o cumprimento da Justiça em relação aos crimes que cometeram.

“A prisão deles também é necessária para tirar a sensação de insegurança na sociedade. Por ocuparem posição de comando dentro dos grupos, a prisão afeta positivamente os registros de homicídios há desarticulação que dificulta a execução de planos de expansão, que geram os assassinatos”, destacou Romualdo Gianordoli.

A população pode ajudar a localizar esses procurados repassando informações pelo telefone 181 ou pelo site disquedenuncia181.es.gov.br.

Informações: G1


Leia mais

Leia também