ES: após seis anos morando em hospital, menina tem alta e volta para casa

Anninha, como é carinhosamente chamada pela equipe do hospital, foi internada ainda bebê. Ela sofre de Atrofia Muscular Espinhal (AME) tipo 1 e, por isso, passou praticamente toda a vida em uma enfermaria.

Anna foi internada quando tinha seis meses — Foto: Arquivo Pessoal

Por Gabriela Ribeti, G1 ES e TV Gazeta

Uma despedida cheia de emoção marcou a tarde desta sexta-feira (23) no Hospital Infantil de Vitória, em Bento Ferreira. Depois de passar seis anos na unidade, a paciente Anna Isabeli Reinholz Lima recebeu alta e voltou para casa com a família.

Anninha, como é carinhosamente chamada pela equipe do hospital, foi internada ainda bebê, quando tinha seis meses. Ela sofre de Atrofia Muscular Espinhal (AME) tipo 1 e, por isso, passou praticamente toda a vida em uma enfermaria.

Anna foi internada quando tinha seis meses — Foto: Arquivo Pessoal

Anna foi internada quando tinha seis meses — Foto: Arquivo Pessoal

“A musculatura dela não funciona bem, então ela tem muita restrição de movimento da parte motora, braços pernas, e musculatura respiratória”, explica a diretora técnica do hospital, Isabel Carvalho.

Mesmo com as limitações de locomoção e comunicação impostas pela doença, Anninha conquistou médicos e enfermeiros, virou o centro das atenções e o xodó da equipe.

“A Ana tem uma alegria, uma felicidade, ela toma conta de todo mundo aqui no quarto. A gente chegava aqui, se não conversasse com ela, ela já fazia uma confusão para chamar atenção”, lembrou a enfermeira Sandra Cristina Oliveira.

Anninha conquistou a equipe médica durante os anos de internação — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Anninha conquistou a equipe médica durante os anos de internação — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Já com saudade da pequena, profissionais aproveitaram a despedida para presentear a garotinha, que agora vai experimentar uma vida nova.

Para que tudo corra bem nesta nova fase, foi preciso garantir que, em casa, Anna Isabeli terá toda a assistência necessária.

“Conseguimos viabilizar uma agilidade no processo do Programa Respira, que cede o bipap, que é esse equipamento que a Anna vai levar para casa. A gente articulou com o Samu para, em caso de intercorrência, ela receba assistência necessária, suporte avançado, e seja trazida direto para o pronto-socorro que já conhece o caso dela. A gente articulou com unidade de saúde do bairro para acompanhamento pelo Programa de Saúde da Família”, explicou a assistente social Cláudia Giuliatte.

Família comemora alta da filha após seis anos em hospital — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Família comemora alta da filha após seis anos em hospital — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Ao chegar em casa, em Cariacica, Anninha também foi recepcionada com festa pelos vizinhos. Por lá, todo o espaço foi adaptado para recebê-la. As portas ficaram mais largas e os espaços, mais abertos.

Uma passagem direta do quarto dos pais para o dela também foi montada. Tudo pensado para proporcionar qualidade de vida à criança.

Além disso, os pais fizeram cursos para aprender a cuidar melhor da filha. “Eu fiz primeiro o curso de socorrista, e ela [a mãe] fez o curso técnico de enfermagem, isso ajudou a gente muito mesmo”, disse o pai, Edimar Lima.

Com tudo pronto, eles sentem que agora, finalmente, o lar está completo. “Quase sete anos. Quando minha esposa estava em casa, eu não estava. Quando ela não estava, eu estava. Coração está acelerado, a mil, não dá para explicar”, disse o pai Edimar Lima.

“A expectativa é ter a família junto, que é o que a gente mais espera, poder acordar todo mundo junto, todo mundo festejando”, comemorou, emocionada, a mãe Shirley Lima.

Volta para casa foi celebrada pela família — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Volta para casa foi celebrada pela família — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Leia mais

De malas prontas

Leia também