ES: após quase 50 anos, mulher que foi sequestrada bebê reencontra a mãe biológica

 

Demorou quase 50 anos para que Simone Lopes Garcia pudesse reencontrar sua mãe biológica. A ansiedade para o reencontro tão sonhado com Nilsa Aparecida de Sousa, de quem a cuidadora foi separada ainda bebê, quando foi sequestrada aos dois anos de idade, deu lugar a uma forte emoção assim que mãe e filha ficaram frente a frente e puderam dar o abraço desejado por toda uma vida.

A história de Simone, que é moradora de Cariacica, na Grande Vitória, ficou conhecida em novembro de 2019, quando ela, que na época tinha 46 anos, revelou ter descoberto que havia sido sequestrada pelo homem que a havia criado como filha.

A história só foi descoberta após a morte de Pedro Antônio Garcia, o sequestrador. Foi a partir daí que Simone passou a investigar o passado na tentativa de responder às dúvidas que sempre teve em relação a sua própria história, já que seu suposto pai havia falado para ela que sua mãe havia morrido.

“Eu comecei fazendo uma gravação, contando a minha história e que procurava a minha mãe. Compartilhei nas redes sociais, a postagem foi sendo compartilhada por outras pessoas e até participei de reportagens sobre essa busca pela minha mãe”, detalhou Simone.

Durante a investigação, a cuidadora descobriu que havia sido sequestrada na cidade de Tanabi, no interior de São Paulo. Além disso, soube que Pedro Antônio havia sido casado com uma prima do pai biológico dela.

No boletim de ocorrência, registrado por Nilsa em 7 de abril de 1975, a mãe contou à polícia que havia saído para buscar lenha nas proximidades de casa e, ao retornar, notou a ausência de Pedro e da filha Simone. Esta foi a última vez que Nilsa viu a filha.

“Eu lutei muito, eu corri atrás procurando, mas naquela época era difícil pois não tinha condições de ir a lugares”, contou Nilsa.

Desde que descobriu sua verdadeira origem, o grande sonho de Simone era o de reencontrar sua mãe biológica. Sonho este que foi realizado em junho de 2021.

Após o caso de Simone ter sido mostrado pela TV Gazeta foi a própria Nilsa quem reconheceu a filha. A reportagem chegou até a cidade de Água Clara, no Mato Grosso do Sul, onde dona Nilsa mora atualmente.

“Eu estava lavando louça e comecei a escutar na televisão a história de uma criança chamada Simone que tinha sido levada de casa e pensei ‘essa história é quase igual a minha’. Sentei no sofá para olhar a reportagem e vi minha foto nova na televisão”, recordou Nilsa.

Simone não pensou duas vezes. Com a ajuda da filha e dos irmãos que ainda nem conhecia, viajou mais de 1.700 quilômetros para conhecer a mãe. “Entrei no carro com minha filha e valeu a pena. Essa é minha mãezinha querida que eu tanto procurei”, conta Simone, com sorriso de orelha a orelha.

Um café da manhã especial foi preparado para que a cuidadora conhecesse melhor sua verdadeira família. Uma história que ganhou um feliz recomeço.

 

Simone saiu do ES e foi até o Mato Grosso do Sul para reencontrar a mãe, dona Nilsa

Simone saiu do ES e foi até o Mato Grosso do Sul para reencontrar a mãe, dona Nilsa

 

Simone e a mãe Nilsa puderam se reencontrar após quase 50 anos

Simone e a mãe Nilsa puderam se reencontrar após quase 50 anos


Leia mais

Leia também