Enivaldo vai pegar prefeitura endividada e anuncia medidas duras de contenção

As informações econômico-financeiras levantadas pela equipe de transição mostram tamanho do desafio que o deputado Enivaldo dos Anjos vai pegar em Barra de São Francisco.

Somente daquilo que já se levantou, a receita líquida própria média de R$ 6,6 milhões mensais está totalmente comprometida em dívidas e despesas correntes.

Somente com as dívidas que já estão parceladas, a equipe de transição identificou comprometimento de R$ 1,150 milhão mensais.

Os credores principais: Cesan, INSS, Instituto de Previdência, PIS/Pasep. É dessa receita líquida que saem, ainda, a folha de pagamento dos servidores, os pagamento de encargos sociais, os repasses mensais para as despesas orçamentárias da Câmara de Vereadores, além dos percentuais constitucionais de 15% para a saúde e pelo menos 25% para a educação, além das demais despesas fixas.

Como bom marujo, entretanto, Enivaldo não se arrepende de ter trocado o mandato de deputado estadual, sem contas a pagar, pelo Executivo. “Quem é chamado para uma missão não pode fugir dela. Se nos omitirmos, o povo vai sofrer cada vez mais. Epicuro já dizia na Grécia Antiga: o que seria dos grandes navegantes, se não fossem as tempestades?”.

E, se necessário for, em meio à tempestade, retirar a carga do navio. Tão logo assuma oficialmente a chefia do Executivo, Enivaldo dos Anjos disse que anunciará uma série de medidas de contenção de gastos, ao mesmo tempo em que cobrará de sua equipe do secretariado criatividade para que não haja prejuízo na prestação de serviços à população.

Antes mesmo de conhecer esses números, Enivaldo já anunciou algumas medidas no início deste mês de dezembro, como a escolha do primeiro secretário da futura administração com a missão de ser “o homem forte da gestão”. O nome é o de Elcimar Souza Alves, coordenador da equipe de transição, instalada 48 horas após a eleição do dia 15 de novembro.

“Vamos atuar com toda transparência possível. A população vai saber de tudo em relação ao caixa da prefeitura. Não há espaço para desperdício, vamos trabalhar com o mínimo de pessoal possível e, se houver necessidade de realizar contratações, elas serão feitas por meio de processo seletivo. Logo depois da posse, vamos anunciar as medidas necessárias para lidar com essa situação de falta de recursos”, disse Enivaldo.

Outra medida já anunciada pelo futuro prefeito é a eleição direta para a escolha de uma lista tríplice da qual sairá o futuro secretário municipal de Educação. As regras estão sendo elaboradas, mas Enivaldo já anunciou algumas datas: inscrições de candidatos até o dia 7 de janeiro e a eleição entre os profissionais do setor no dia 15.

Leia mais

Leia também