Empresários industriais do Tocantins seguem otimistas em janeiro, aponta FIETO

Apesar da leve queda no mês de janeiro, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Tocantins registrou 62,2 pontos. Isso significa que os industriais do estado continuam otimistas em relação ao futuro do setor nos próximos seis meses. Os dados são da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO).
 
Em dezembro, o índice fechou em 63,5 pontos, indicando recuperação consistente da confiança após o período mais crítico da pandemia da Covid-19. O recuo de 1,3 pontos entre o fim do ano passado e o início deste ano, no entanto, pode ser explicado pela preocupação com o fim do auxílio emergencial e as incertezas em relação à pandemia e à economia brasileira.
 
Segundo Gleicilene Bezerra da Cruz, técnica em Pesquisa da FIETO, mesmo com o fim do benefício, as expectativas positivas continuam devido a outro fator: o início da imunização no País. “Mesmo com a preocupação com o fim do auxílio emergencial, a chegada da vacina pode ter contribuído com a permanência das expectativas otimistas. Acreditamos que se a campanha de vacinação tiver êxito, conseguindo imunizar boa parte da população, são grandes as chances de que isso continue refletindo de forma otimista nas pesquisas”, avalia. 

Arte: Brasil 61

Indicadores

O ICEI é composto por dois componentes. O indicador de Condições Atuais recuou de 57 pontos para 54,9 pontos de dezembro para janeiro. Já o de Expectativas, passou de 66,7 pontos para 65,8 pontos no mesmo período. Apesar disso, a confiança do empresário industrial tocantinense está acima da média nacional, que foi de 60,9 pontos no último mês.
 
Gleicilene destaca que quando o setor está otimista, gera uma sequência de eventos positivos para o estado. “Empresários confiantes tendem a investir mais, possibilitando a geração de renda para o estado, com a criação de novos postos de trabalho, o que se espera que ocorra nos próximos meses contribuindo para a retomada do crescimento econômico”, acredita.
 
Mário Pilar, presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico do Estado do Tocantins – SIME/TO, acredita que dois fatores estão contribuindo para o maior otimismo da indústria local: o desenvolvimento da economia tocantinense — o estado mais novo do Brasil — impulsionada pelo agronegócio.
 
“Em Tocantins a prioridade é o agronegócio, que está em franco desenvolvimento e isso está aquecendo muito o mercado aqui no estado. A gente ainda continua apreensivo, mas como sempre otimistas em função das empresas do nosso segmento serem periféricas às empresas do agronegócio. Existe um otimismo, uma confiança”, garante. 

A pesquisa

O levantamento foi feito entre 4 e 15 de janeiro. Ao todo, a FIETO coletou respostas com 97 indústrias, das quais 69 são de pequeno porte e 28 de médio e grande porte. 

Governo do Tocantins

Leia mais

Leia também