Em um mês de funcionamento, ala Covid-19 do Himaba já registrou mais de 30 altas médicas

Em um mês de funcionamento, a ala Covid-19, anexa ao Hospital Estadual Infantil e Maternidade Dr. Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, administrado pelo Instituto Acqua, já recebeu 84 pacientes e tem mais de 30 altas registradas, cerca de um paciente por dia. 

O subsecretário de Estado de Regulação, Controle e Avaliação em Saúde, Gleikson Barbosa dos Santos, destaca que essa ampliação de leitos é fundamental no enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) no Estado. 

“Essa decisão do Governo do Estado em investir na ampliação de leitos, principalmente na rede própria, é de extrema importância para que consigamos vencer essa batalha contra a Covid-19. Além disso, é uma alegria enorme ver as pessoas se recuperando contra a doença e voltando para suas famílias”, ressaltou o subsecretário.

Para o médico intensivista Juan Carlin Passos, coordenador médico da unidade e que atua na linha de frente desde o início da pandemia, a estrutura da unidade e o empenho da equipe são destaques nesses trinta dias.

“Tivemos o desafio de montar a estrutura em pouco tempo e temos aqui o que há de melhor no mercado. A equipe é experiente e a gente tem uma facilidade muito grande de comunicação interna e de trabalhar em conjunto. Somos um time. Isso é essencial porque nosso objetivo é sempre prestar um atendimento de qualidade para os nossos pacientes”, disse Passos.

O acesso aos 30 leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e aos 52 de enfermaria acontece via Regulação Estadual. A ala conta com 170 colaboradores.

O novo espaço, apesar de ser anexo ao Himaba, tem acesso independente da unidade pediátrica e conta com equipe médica e assistencial distintas. Os novos leitos, a princípio, seriam destinados ao atendimento pediátrico, mas, com a pandemia da Covid-19, o perfil de atendimento foi modificado para auxiliar a rede hospitalar capixaba no enfrentamento à doença. 

Humanização 

Diariamente, familiares dos pacientes recebem por e-mail o boletim médico e aqueles que estão na enfermaria têm a possibilidade de falar com os parentes, por meio de videochamadas realizadas pelos psicólogos.

“Procuramos deixar os familiares o mais bem informados, com relação a tudo que está acontecendo com o paciente, já que não pode haver visitas. Buscamos ter essa sensibilidade que faz muita diferença. Gosto de falar com eles por telefone e explicar a evolução de quem está aqui dentro”, informou Juan Passos.

A mesma percepção tem a enfermeira Auxiliadora Gava, que atua há 12 anos e também está na linha de frente desde o início da pandemia. “Trabalhamos muito a humanização no atendimento, sentindo qual a necessidade de cada um. Entendo que como na ala Covid o paciente fica distante da família, a gente acaba ficando mais próximo dele. É gratificante demais ver cada um ir embora, recuperado e voltando para suas famílias. É o resultado de muito trabalho por toda equipe”.

Um dos pacientes que passou pela ala Covid-19 do Himaba foi Ivo Alves Noronha. No momento da alta, muito emocionado ao som do hino do Flamengo, seu time do coração, ele agradeceu à equipe que o acolheu. “O atendimento e as instalações aqui são excelentes. Muito obrigado pelo cuidado que vocês tiveram comigo”.

Instituto Acqua

O Instituto Acqua é uma Organização Social (OS) sem fins lucrativos com sede em Santo André, Região Metropolitana de São Paulo. Com 22 anos de história, atua na área de saúde pública e privada em todo o território nacional.