Em reunião multilateral em Viena, Irã afirma que diferenças sérias precisam ser superadas antes de retomar acordo nuclear

A Comissão Conjunta do Plano de Ação Conjunta Global (JCPOA, na sigla em inglês) se reuniu neste sábado (17) em Viena com líderes do Irã, China, Rússia, Alemanha, França e Reino Unido para decidir o futuro nuclear da República Islâmica.

Os representantes estadunidenses estavam em um hotel diferente de onde o encontro ocorreu, e seus contrapartes europeus tiveram de negociar com a delegação separadamente. Donald Trump retirou os Estados Unidos do acordo em 2018 e impôs sanções sobre o Irã unilateralmente.

“Agora há uma visão compartilhada do objetivo final entre todos os lados e o caminho que precisa ser seguido é um pouco mais conhecido”, disse Abbas Araghchi, vice-ministro das Relações Exteriores do Irã. “Embora não seja um caminho fácil. Existem algumas diferenças sérias que precisam ser resolvidas”, acrescentou.

Araghchi revelou que o Irã formulou medidas para que as sanções sejam cessadas, assim como medidas nucleares, que servirão de base para um acordo final.

Enrique Mora, vice-chefe de política externa da União Europeia elogiou o progresso atingido durante o encontro multilateral e pediu o reingresso dos EUA no acordo nuclear. “Após intensas conversas, fizemos um balanço na Comissão Conjunta. O progresso foi feito em uma tarefa nada fácil. Precisamos agora de um trabalho mais detalhado. É importante que todos estejam comprometidos com os mesmos objetivos: a volta dos EUA ao #JCPOA e sua implementação total”, disse, em sua rede social.

O otimismo foi ecoado pelo representante russo nas negociações, Mikhail Ulyanov. “Encerrada a reunião da Comissão Conjunta de #JCPOA. Os participantes tomaram nota com satisfação dos avanços alcançados até o momento e expressaram a determinação de continuar as negociações a fim de concluir o processo com êxito o mais breve possível”, disse, em sua rede social.

Segundo Ulyanov, os representantes continuarão se encontrando durante a próxima semana, e, se necessário, também com a comissão conjunta.

O encontro multilateral vem poucos dias após o Irã anunciar que começou a enriquecer urânio a 60% de pureza. A medida veio em resposta ao ataque terrorista à usina nuclear de Natanz, cometido, segundo autoridades, por Israel.

Com informações da Al Jazeera. 

 

 

Abbas Araghchi,vice-ministro das Relações Exteriores do Irã

Abbas Araghchi,vice-ministro das Relações Exteriores do Irã (Foto: Wikimedia Commons)

Leia mais

Leia também