Em reunião com Putin, Biden diz que “responderá à altura” se for alvo de ataques cibernéticos


O primeiro encontro entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente estadunidense, Joe Biden, terminou nesta quarta-feira (16) com uma série de medidas concordadas. 

Os dois líderes discutiram a fundo a questão da segurança cibernética. Biden alertou que ataques dessa natureza “não serão tolerados” e que seu governo “responderá à altura” se for alvo. Ele ainda apontou para “ataques contra a democracia”. 

Um processo de consultas será criado para facilitar a resolução de ataques, informa Jamil Chade, no Uol. 

Os presidentes trataram da questão da redução do estoque de armamentos nucleares e concordaram em relançar as conversas sobre um novo tratado START. 

Em declaração conjunta, o Kremlin e a Casa Branca reafirmaram seu compromisso com o princípio “de que não pode haver vencedores em uma guerra nuclear e que ela nunca deve ser travada”, segundo documento divulgado no site do governo russo.

Além disso, um plano para restabelecer os embaixadores das respectivas capitais foi criado. 

Apesar das declarações contundentes, Biden sinalizou que os EUA estão dispostos a reconhecer o papel da Rússia no mundo. O democrata ofereceu a Putin uma relação estável entre as “grandes potências”.

Já Putin qualificou o encontro como “construtivo” e disse que “não há hostilidades” entre EUA e Rússia. 


Leia mais

Leia também