Em recuperação, turismo registra 150% de crescimento no e-commerce em relação a 2020

A retomada do turismo é uma realidade que se confirma a cada dia e um estudo divulgado pela Conversion, empresa especializada em marketing digital, ratifica essa franca recuperação. Segundo o levantamento, houve um crescimento de 18,61% no e-commerce do setor em julho na comparação com junho, o maior entre todos os segmentos analisados.

Já em relação a 2020, o comércio eletrônico no turismo registrou uma alta de 150%. Os números refletem o otimismo da população com o aumento gradual da vacinação contra a Covid-19 e as medidas de biossegurança adotadas na área. 

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, os números divulgados revelam que a retomada do setor já começou e que o Brasil será um dos principais destinos daqueles que buscam viagens em meio à natureza. “O turismo e a cultura estão com demandas reprimidas. Com o avanço da vacinação e os protocolos sanitários existentes, logo o turismo estará com força total e o Brasil será um dos países mais procurados para o turismo de natureza”, disse.

Machado Neto ressaltou também que as várias medidas adotadas para salvar o turismo durante a crise sanitária surtiram efeito. “O Governo Federal esteve ao lado do trade desde o momento em que o primeiro caso de Covid-19 chegou ao país. Destinamos recursos e propusemos alteração na legislação para diminuir os impactos no setor. Agora é a hora da recuperação”, destacou o ministro.

A pesquisa revela que o e-commerce nacional cresceu 4,58% em julho no comparativo com o mês anterior, registrando 1,73 bilhão de acessos. Ainda de acordo com o estudo, o setor de turismo foi seguido por esportes (17,75%), importados (9,22%), eletrônicos e eletrodomésticos (5,79%), comidas e bebidas (3,61%) e casa e móveis (3,26%).

A pesquisa mostrou também que as viagens domésticas são prioridades para os brasileiros. Nesse sentido, o Nordeste lidera entre os destinos preferidos (59,84%), seguido das regiões Sul (28,92%) e Sudeste do país (25,30%).

Além disso, a análise da Conversion revelou uma nova tendência do viajante, de buscar lugares que adotem protocolos de biossegurança. Segundo a pesquisa, 60,15% dos entrevistados afirmaram que, mesmo após o fim da Covid-19, deixarão de usar serviços de empresas que não adotem medidas sanitárias de prevenção ao coronavírus.

METODOLOGIA – O estudo divulgado pela Conversion analisou o tráfego dos 500 maiores sites do Brasil, com um total de 18 categorias, sendo que cada uma apresenta, no mínimo, 15 portais. Deste modo, o total de sites analisados é de 586.

De acordo com a empresa, foram utilizados como fontes de dados plataformas de audiência, a exemplo de SimilarWeb e SEMRush. “Consideramos como sites de e-commerce aqueles predominantemente transacionais e cuja intenção de acesso à home fosse inclinado à compra ou acesso de produto adquirido”, detalha texto sobre o estudo.

ESTUDO E-COMMERCE NO BRASIL (Fonte: Conversion)

Registrando 1,73 bilhão de acessos em julho, o e-commerce nacional cresceu 4,58% no comparativo com relação ao mês anterior.

Setores com mais crescimento em julho (em relação a junho)

1. Turismo: 18,61%

2. Esportes: 17,75%

3. Importados: 9,22%

4. Eletrônicos & Eletrodomésticos: 5,79%

5. Comidas & Bebidas: 3,61%

6. Casa & Móveis: 3,26%

Viagens domésticas são prioridades para os brasileiros. Destinos mais procurados:

1. Brasil – NORDESTE: 59,84%

2. Brasil – SUL: 28,92%

3. Europa: 26,10%

4. Viagens dentro do meu estado: 25,70%

5. Brasil – SUDESTE: 25,30%

Com informações do Ministério do Turismo

Em recuperação, turismo registra 150% de crescimento no e-commerce em relação a 2020

Com vacinação e protocolos sanitários, turismo segue tendência de alta. Foto: Marco Ankosqui / MTurDestinos