Em alta no continente, dupla cearense sofre para reagir no Brasileiro

Compartilhe

Os empates de Ceará e Fortaleza com São Paulo (2 a 2) e Juventude (1 a 1), respectivamente, no sábado (28) à noite, evidenciam as realidades diferentes que os rivais vivem nesta temporada. Ao mesmo tempo em que fazem história ao se classificarem ao mata-mata das competições sul-americanas que disputam, alvinegros e tricolores sofrem na rabeira do Campeonato Brasileiro.

O Ceará foi para o jogo contra o São Paulo, no Morumbi, na capital paulista, embalado pela vitória por 2 a 0 sobre o Independiente (Argentina), fora de casa, na última quarta-feira (25), que assegurou um aproveitamento de 100% na fase de grupos da Copa Sul-Americana. O técnico Dorival Júnior, porém, poupou os dois principais nomes do elenco – o meia Vina e o atacante Stiven Mendoza – da equipe titular. O volante Rodrigo Lindoso, por sua vez, sentiu um desconforto na posterior esquerda e foi cortado pouco antes da bola rolar.

O Vozão sentiu as ausências e foi dominado pelo Tricolor no primeiro tempo. Cléber até balançou as redes para o Alvinegro, mas o também atacante Jonathan Calleri e o meia Rodrigo Nestor deixaram os anfitriões em vantagem antes do intervalo. Dorival, então, mandou Vina e Mendoza a campo para a etapa final. A dupla titular deu nova cara à equipe, que empatou com um gol do colombiano, validado após intervenção do árbitro de vídeo (VAR).

A igualdade frustrou o São Paulo, que podia dormir na liderança do Brasileiro e acabou permanecendo, provisoriamente, na segunda posição, com 13 pontos, podendo ser ultrapassado por até quatro clubes na sequência da rodada. No Ceará, apesar da situação na tabela, o ponto somado fora de casa foi considerado positivo. O Alvinegro, com seis pontos, segue na zona de rebaixamento, em 18º lugar, dois pontos atrás do Cuiabá, último time fora do Z4. A equipe pode retornar à vice-lanterna se o Atlético-GO pontuar na segunda-feira (30), às 20h (horário de Brasília), diante do Internacional, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

“Nós não perdemos a postura, mas estamos tendo muitas baixas de uma rodada para a outra, além de um período de recuperação muito curto. Nossa logística é muito diferente do que acontece com a maioria das equipes, principalmente as do Centro-Sul do país. Isso tem um peso muito grande. Estamos voltando de um jogo que terminou praticamente na madrugada de quarta para quinta-feira [26], dois dias e meio, depois estamos em campo”, justificou Dorival, em entrevista coletiva, após o duelo no Morumbi.

O discurso não difere muito do adotado por Juan Pablo Vojvoda, técnico do Fortaleza, depois do empate na Arena Castelão, na capital cearense, com o Juventude. O Leão do Pici saiu atrás, com o atacante Vitor Gabriel marcando para os gaúchos no início do segundo tempo. O empate saiu com o volante José Welison, na sobra de uma cobrança de falta. O Tricolor segue sem vencer no Brasileiro e somou apenas o segundo ponto em sete jogos, na lanterna do campeonato. O clube de Caxias do Sul (RS), com sete pontos, está em 17º, abrindo o Z4.

Em paralelo à má campanha no Brasileiro, o Fortaleza vive um sonho na Libertadores. Estreante na competição, o Leão do Pici se classificou às oitavas de final com a vitória por 4 a 3 sobre o Colo-Colo (Chile), fora de casa, na última terça-feira passada (24). Depois de um início ruim no torneio continental (duas derrotas), o Tricolor reagiu, emendando três triunfos e um empate nas quatro rodadas seguintes.

“A realidade é necessitávamos dos três pontos [no Brasileiro]. [Contra o Juventude] Não tivemos o funcionamento das últimas partidas. No primeiro tempo, não tivemos a circulação e a mobilidade que podemos ter. Não é desculpa, mas a parte física também é importante no futebol brasileiro. Esta não é a intensidade do nosso time. Jogamos, há três dias, uma partida muito forte, de classificação na Libertadores”, declarou Vojvoda.

O próximo compromisso de Ceará e Fortaleza, pelo Brasileiro, curiosamente, será o embate entre eles. A partida desta quarta-feira (1º), às 20h30, na Arena Castelão, vale pela terceira rodada e havia sido adiada por causa da final do Campeonato Cearense, entre Leão do Pici e o Caucaia. A expectativa de Vozão e Tricolor é que o Clássico-Rei marque a retomada na competição nacional.

Em alta no continente, dupla cearense sofre para reagir no Brasileiro

Leia também

Vítima de violência poderá ser avisada da soltura de seu agressor

  Denunciar um agressor à polícia e ele ser privado da liberdade não garante tranquilidade às vítimas. Muitas vezes,...

Polícia Federal quer criar DNA do ouro para combater crimes cometidos na comercialização do mineral

Uma plataforma digital criada pelo Instituto Escolhas, que mapeia caminhos do comércio ilegal de ouro, revela que o...

MINAS GERAIS: agricultores recebem da Embrapa soluções para otimizar uso de fertilizantes

Chegou a vez de os produtores agrícolas de Minas Gerais receberem a Caravana Embrapa FertBrasil, ação de curto...

Coopeavi recebe inscrições para 2º Torneio de Silagem de Milho

  O inverno chegou e é tempo de se preparar para manter nutrido o gado leiteiro sem contratempos. Com...

Nova Venécia vai realizar o projeto “Meu Bairro tem Talento”

  A Prefeitura de Nova Venécia, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo realizará, no próximo fim de...

Por reeleição, Planalto eleva gasto em publicidade na Globo em 75% em 2022

HANRRIKSON DE ANDRADE BRASÍLIA, DF (UOL/FOLHAPRESS) - Conhecido pelos ataques recorrentes à Globo, maior rede de TV do país,...

Espírito Santo descarta 2º caso suspeito de varíola dos macacos e começa a investigar 3º

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Espírito Santo divulgou, no início da tarde desta segunda-feira (4),...