Efeito da Pandemia: botijões de gás estão sumindo do mercado

Com a quarentena mais pessoas têm ficado dentro de casa e, por isso, segundo o governo, o consumo de gás de cozinha cresceu 23%, devido à pandemia do Novo Coronavírus. Na grande Vitória, várias distribuidoras não têm mais o produto para revender. E nos locais onde o gás é encontrado, o preço já subiu.

Na manhã desta sexta-feira (10), várias pessoas estavam procurando pelo produto em Porto Novo, Cariacica. Porém, segundo o proprietário de uma distribuidora, o último caminhão carregado com a mercadora chegou na segunda-feira (6), com apenas 20 botijões de gás, e todos foram vendidos no mesmo dia.

falta do produto se repetiu em outros bairros. Em Jardim América, também em Cariacica, por exemplo, funcionários na maior distribuidora da região tiveram que colar um aviso na porta do local para informar os clientes que não havia gás.

Diante da pouca oferta e da grande procura, o preço do produto subiu em alguns locais. Em Jardim América, por exemplo, o botijão está custando R$ 70,00.

Segundo a Petrobras, em março, as vendas de GLP – o gaz de cozinha – totalizaram 615 mil toneladas em todo o País. Isso representa oito mil toneladas acima da quantidade combinada com as distribuidoras.

Sobre o desaparecimento do gás dos estabelecimentos, de acordo com a Petrobras, o gás é produzido com a gasolina. Como houve queda no consumo do combustível, não há produção. Assim, foi reduzida, também, a produção do gás na refinarias.

Para tentar resolver o problema, a Petrobras informou que vai importar o produto. Por isso, segundo a estatal, não há motivos para os consumidores estocarem o produto que, se mal armazenado, oferece risco de explosão.

De acordo com o Procon Estadual, o consumidor que encontrar o botijão de gás com um valor acima da média deve procurar o órgão pela internet e denunciar o preço abusivo.

Informações: Folha Vitória


Leia mais

Leia também