Dupla é presa após se passar por idosa para receber produtos de golpe no Espírito Santo

 

Um empresário, de 31 anos, e um funcionário dele, de 27 anos, foram presos em Guarapari, no Espírito Santo, na última quinta-feira (9), suspeitos de usarem o endereço de uma idosa e dados de cartões de crédito de outras pessoas para fazer compras de móveis e eletrônicos.

A investigação apontou que o empresário usava dados de cartões de créditos de vítimas de outros estados, além do Espírito Santo, para fazer compras na cidade.

O primeiro golpe em uma grande loja de departamento local aconteceu em agosto deste ano. Na primeira compra, a dupla comprou uma poltrona retrátil em nome do empregado e colocou como endereço de entrega a sede da empresa.

Porém, com medo do crime serem descobertos, eles foram até a loja buscar o móvel pessoalmente. A ação foi filmada pela câmera de videomonitoramento do estabelecimento.

Nas aquisições seguintes, de acordo com a Polícia Civil, a associação criminosa se sofisticou para minimizar os riscos e passou a agir da seguinte forma:

  1. Apoderaram-se dos dados pessoais de uma idosa de 88 anos proprietária do prédio onde funciona o estabelecimento do empresário preso;
  2. Cadastraram um chip telefônico usando os dados da idosa;
  3. Cadastraram o número telefônico no aplicativo de mensagens WhatsApp, usando foto de um jovem e de uma idosa;
  4. Realizaram, no dia 5 setembro, outras duas compras na mesma loja de departamento com móveis para cozinha e escritório;
  5. Designaram como endereço de entrega o local onde funcionava a empresa que atuavam;
  6. O funcionário da empresa ficou responsável em receber pessoalmente as encomendas;
  7. Usando o perfil falso de WhatsApp, o funcionário fez contato com a loja de departamentos, apresentando-se com um nome também falso e reclamou da demora na entrega e ordenando que ela fosse feita no local anteriormente designado;

Com o esquema montado pelos criminosos, o dono da loja de departamento percebeu que era o mesmo endereço anterior, adiou a entrega e chamou a polícia. Os policiais, então, acompanharam a distância a entrega.

Ao constatarem que o funcionário da empresa se apresentou para receber as mercadorias com o nome falso informado para a loja, os policiais deram voz de prisão a ele.

O empregado preso informou que estava recebendo as mercadorias a mando do empregador e o empresário foi preso.

As apurações revelaram que o empregado e o empregador presos estavam organizados com outras pessoas para prática de crimes. Eles foram autuados por estelionato e formação de associação criminosa e foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Guarapari.