Duas advogadas são detidas no Espírito Santo suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas

Duas advogadas foram detidas nesta sexta-feira (23) por suspeita de envolvimento com organizações criminosas que atuam no tráfico de drogas no Espírito Santo e em Minas Gerais.

A ação é uma junção da Operação Vade Mecum, da Delegacia Especializada de Narcóticos (Denarc) Guarapari, e da Operação Marcos 4:22, da 4ª Delegacia de Polícia Civil de Muriaé, em Minas.

Os nomes das advogadas ainda não foram divulgados e mais detalhes serão repassados pela polícia em uma coletiva de imprensa.

A Operação Vade Mecum começou em setembro deste ano com o objetivo de prender suspeitos de tráfico de drogas, associação para o tráfico e corrupção ativa.

Após meses de investigação, a polícia identificou membros de uma organização criminosa empenhada em traficar drogas para internos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Guarapari, aliciando servidores públicos e advogados mediante pagamento de propina.

Naquela época, duas advogadas também foram detidas. Há dez dias, um inspetor penitenciário foi preso suspeito de integrar a organização.

Ele era servidor do Centro de Detenção Provisória (CDP) II de Viana e, segundo a polícia, chegou a solicitar uma propina no valor de R$ 5 mil para fornecer celulares aos detentos.

Leia mais

Leia também