Dono de distribuidora de bebidas é preso suspeito de receptar carga de cerveja roubada no ES

O dono de uma distribuidora de bebidas que fica no bairro Santa Mônica, em Vila Velha, foi preso em flagrante durante uma ação da Polícia Civil. Adriano Teixeira da Silva, conhecido como Vitalino, é apontado pela polícia como suspeito de receptar uma carga de cerveja roubada há cerca de um mês, na Serra.

A polícia contou que o empresário responsável pelo depósito teria se recusado a abrir o espaço e ainda tentou fugir durante a operação.

O delegado Brenno Andrade explicou que a polícia chegou ao suspeito após receber denúncias de que a carga roubada no município da Serra estaria no deposito da distribuidora.

“Ele disse aos agentes que se fosse a Secretária da Fazenda no local ou delegado, ele abriria o galpão para ver a carga, então eu fui até o local. Ao chegar lá, quando eu desci da viatura, o individuo saiu correndo para o interior de uma residência e se escondeu no quarto de uma moradora. Ele acabou preso”, contou.

Vitalino foi preso em flagrante por sonegação fiscal, já que não tinha nota dos produtos. Além disso, o empresário continua sendo investigado em relação ao roubo da carga na Serra.

Na ocasião do crime, um motorista conduzia o veículo que transportava a carga de bebidas da Bahia para o Rio de Janeiro. Ele foi roubado e apresentou uma versão contraditória no depoimento.

O homem só registrou o boletim de ocorrência ao chegar no Rio de Janeiro e ainda teria afirmado, inicialmente, que o carga teria sido roubado no estado fluminense. Para a polícia, o motorista pode ter participação no crime.

“Acreditamos que ele contou essa versão, levando em consideração o elevado número de crimes como esse no Rio de Janeiro, o que dificulta as investigações policiais. Vamos verificar, através das investigações, se o motorista tinha ou não participação no crime”, destacou o delegado.

Ainda de acordo com informações da polícia, a carga rouba na Serra está avaliada em R$ 220 mil. Já a carga encontrada no depósito de Vila Velha, foi  avaliada em R$ 120 mil. Se comprovada que se trata da mesma carga, isso indica, segundo a polícia, que parte dos produtos já teriam sido distribuídos.

“No momento que chegamos no depósito, não conseguimos comprovar que a carga encontrada é a mesma que teria sido furtada, pois a fábrica não forneceu o lote de bebidas que estava no caminhão”, explicou o delegado.

Após ser autuado, Vitalino pagou R$ 10 mil de fiança e foi liberado. Se comprovada a participação no crime de cargas, ele poderá ser preso novamente.

Vitalino possui outras passagens pela Justiça. Na virada de ano para 2020, ele se envolveu em uma polêmica em relação ao quiosque que é proprietário. No local, houve a promoção de uma queima irregular de fogos de artifício, que deixou pelo menos oito pessoas feridas.

Informações: Folha Vitória

-->