Dona Rita, 114 anos, a mulher mais idosa do ES, é vacinada contra a Covid19 em Barra de São Francisco

Primeiras vacinas foram aplicadas nos internos do asilo de idosos. Dona Maria Rita foi a primeira pessoa da comunidade externa a ser imunizada.

Dona Maria Rita foi a primeira pessoa da comunidade externa ser vacinada em Barra de São Francisco

Com uma hora e meia de atraso em relação à programação anterior, por conta da determinação da Secretaria de Estado de Saúde de que primeiro fossem vacinados os cerca de 20 internos do asilo de idosos, dona Maria Rita Pereira, 114 anos, a pessoa viva mais idosa do Espírito Santo, está imunizada contra a Covid19.

Morando numa casa simples, num canto de rua do bairro Nova Barra, junto com a filha e netos, tendo outros parentes no mesmo quintal, dona Maria Rita recebeu a primeira dose da vacina às 11h30 e está pronta para vencer a pandemia e viver mais 50 anos, como é seu desejo.

Com simplicidade, Zenilda Rita de Jesus, a dona Santa, 71 anos, que cuida da mãe há mais de 30 anos, depois que a irmã mais velha morreu, ficou entre preocupada e aliviada com a vacina: “A gente fica preocupada, mas, se tem de tomar, vamos tomar. Fico feliz que minha mãe seja a primeira pessoa da cidade a tomar a vacina, mas o que a gente quer é que todo mundo possa ter a vacina para ficar livre dessa doença. Graças a Deus, estamos aqui quietinhos, protegidos”.

Dona Rita não sabia bem porque estava “tomando injeção”, mas levantou cedo e se arrumou para receber as visitas. Uma quebra de rotina, porque ela costuma dormir até 11 horas da manhã. “Se não chamar, ela fica dormindo”, conta dona Santa.

Apesar de ter mandado vacinar dona Maria Rita como homenagem, o prefeito Enivaldo dos Anjos não quis participar do momento. “Temos quase 2 mil pessoas contaminadas na cidade, já morreram 58. Comemorar o que? Vida longa à dona Maria Rita”, limitou-se a comentar Enivaldo.

No último dia 15, dona Maria Rita completou 114 anos. Desde que a história dela começou a ser divulgada, quando foi descoberta pelo prefeito anterior, Alencar Marim, durante a entrega de títulos de posse do lote onde está construída a casa da família, os parentes de longe começaram a fazer contato e a buscar mais informações. Segundo dona Santa, estava todo mundo preparado para uma grande festa de aniversário, com parentes vindo de todo o Brasil.

Um fazendeiro da cidade ofereceu a festa em sua propriedade, mas a pandemia fez os sonhos serem adiados para o aniversário de 115 anos em 2022. O deste ano foi marcado por um culto em família, celebrado pelo pastor da igreja evangélica que eles frequentam na periferia da cidade. E teve até visita da secretária de Cultura, Israelle Cândido, que foi levar uma cesta oferecida pelo prefeito da cidade, Enivaldo dos Anjos, que preferiu não expor a si e a dona Rita com uma visita de cortesia.

O município de Barra de São Francisco recebeu apenas 278 doses da vacina nessa primeira etapa, enviadas pela Secretaria de Estado da Saúde. Destas, 245 doses destinam-se a profissionais de saúde da linha de frente de atendimento. Dona Maria Rita recebeu uma das outras 33, e as outras foram destinadas aos internos da Abrigo dos Idosos, segundo o secretário de Saúde, Gustavo Lacerda, que também é o vice-prefeito da cidade.

Dona Maria Rita é a pessoa mais idosa do Espírito Santo e, possivelmente, a terceira do Brasil. A mulher mais idosa do Espírito Santo era dona Esberta Evangelista dos Santos, a dona Caçula, que nasceu, viveu e morreu em São Mateus, no ano passado, pouco depois de completar 115 anos no dia 18 de janeiro de 2020.

Não há nenhum registro na mídia sobre o aniversário deste ano de dona Severina Conceição, nascida no dia 7 de janeiro de 1904 e que, no ano passado, comemorou 116 anos firme e forte em Recife (PE). Já dona Inocência Vieira de Jesus, nascida em 16 de julho de 1906, apenas seis meses antes de dona Rita, mora em Paulo Afonso (BA). A coluna ainda está buscando informações sobre essas duas centenárias brasileiras, que estão, assim como a mineira de Mutum e moradora de Barra de São Francisco, entre as mulheres mais idosas do mundo.

Quem está defendendo, vigorosamente, o título no Guiness Book é japonesa Kane Tanaka, que nasceu em 5 de janeiro de 1903, completou 118 anos e vive num abrigo de idosos na cidade de Fukuoka, no Japão, onde, segundo o Japan Times, passa o tempo fazendo exercícios, cálculos matemáticos e jogando Reversi, um antigo jogo de tabuleiro.

Aos 114 anos, Maria Rita é a mulher mais velha viva do ES — Foto: Gilberto Gil/Prefeitura de Barra de São Francisco
Aos 114 anos, Maria Rita é a mulher mais velha viva do ES — Foto: Gilberto Gil/Prefeitura de Barra de São Francisco

Leia mais

Leia também