Dia Nacional da Consciência Negra: escolas estaduais realizam ações em alusão à data • SiteBarra

Dia Nacional da Consciência Negra: escolas estaduais realizam ações em alusão à data

No último sábado (20), foi celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra e as escolas da Rede Estadual de Ensino prepararam ações em alusão à data. Entre elas, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Maria de Novaes Pinheiro, de Viana, desenvolveu o projeto “Pele negra, mascaras brancas”, que fez referência ao livro do psiquiatra Frantz Fanon, um dos textos mais influentes dos movimentos de luta antirracista desde a publicação, em 1952. A ação consistiu em produzir podcasts, que contaram com convidados, como padre, pastor, líder da umbanda, entre outros.

Ouça alguns podcasts pelos links:

https://spoti.fi/3HJLZAr

https://bit.ly/3cCOczq

Na EEEF Valério, situada em Vila Valério, a pedagoga Vanete Zani Klippel promoveu uma extensão do projeto da professora regente de Arte, contando a história do acervo de Maciel de Aguiar, escritor e pesquisador das histórias dos descendentes africanos de São Mateus e região.

A EEEFM Professor Augusto Luciano, de Cariacica, promoveu um desfile em que foram exibidos penteados diferentes. A ação faz parte de um projeto interdisciplinar realizado pelas professoras de Arte e foi baseada no livro “Meu crespo é de Rainha”, da autora Bell Hooks.

Já a EEEFM Pedreiras, de Domingos Martins, desenvolveu ações nas áreas de Ciências Humanas e Linguagem e Códigos, que promoveram a cultura afro como ponto importante da identidade cultural brasileira. Assim, foram produzidos painéis exaltando a cultura e a identidade do povo africano, bem como a leitura de autores referência, além de declamações de poemas, cordéis, músicas, danças e trabalhos artísticos confeccionados pelos alunos, exaltando o legado da identidade cultural africana.

Alunos da EEEFM Geraldo Vargas Nogueira, de Colatina, promoveram reflexões sobre as diferentes formas de preconceito existentes na sociedade, a fim de que a sensibilização provocasse mudanças de atitudes e comportamento frente a essa realidade. As ações desenvolvidas foram roda de conversa, exibição de documentários, produção de vídeo, dinâmica de autorretrato, teste social de autoconhecimento, apresentação de músicas, entre outas outras.

A disciplina eletiva “Navegar é preciso”, da EEEM Doutor Silva Mello, de Guarapari, promoveu várias discussões sobre a ascendência africana, chamando atenção para a luta contra o racismo e o preconceito, exaltando a beleza negra.

O aprofundamento destas ações será nesta segunda-feira (22), com apresentações artísticas, exposição fotográfica, teatro, exibição de vídeos e apresentação do congo da comunidade quilombola de Guarapari.

Assista no link abaixo um ensaio da beleza negra produzido pela escola:

No Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral (CEEFMTI) Marita Motta Santos, de São Mateus, foi realizado o projeto “Gestão escolar e equidade: caminhos possíveis para uma educação antirracista”, a partir das histórias e contribuições das mulheres negras para a construção do Brasil.[

A EEEFM Alarico José de Lima, de Nova Venécia, promoveu o projeto “Consciência Negra – Educação e Diversidades”. Os alunos desenvolveram diversos trabalhos artísticos, como dança, música, produção de cartazes, pinturas e outras atividades de valorização e respeito à cultura afrodescendente e suas diversidades. Os professores destacaram o empenho e autonomia dos educandos na organização e desenvolvimento das atividades, que além de apresentações, individuais e coletivas, envolveram gincana e arrecadação de alimentos para doação a famílias carentes. A construção do projeto se deu de forma interdisciplinar, valorizando o trabalho em equipe por parte dos professores, coordenadores, pedagogos, da diretora e dos alunos. O foco principal foi a conscientização, socialização e promoção de um ambiente escolar sem preconceitos e com respeito às diversidades. Para o professor de Geografia, Douglas Mioto, um dos idealizadores do projeto, “O momento de socializar é algo indescritível, e ver o sorriso de um aluno enquanto aprende e se diverte, seja produzindo um cartaz, ensaiando uma música, um teatro ou uma dança, é um sentimento único”, disse Douglas Mioto.

No Colégio Estadual do Espírito Santo, os alunos do projeto Artes Cênicas, atuaram na peça “Sou Negra”. O roteiro falava sobre a vinda dos escravos da África para o Brasil nos navios e a questão do racismo nos tempos atuais.