Dia Mundial sem Tabaco: Sesa alerta para os problemas da dependência

Compartilhe

Nesta terça-feira (31), Dia Mundial sem Tabaco, a Secretaria da Saúde (Sesa), por meio do Núcleo Especial de Vigilância Epidemiológica (Neve), faz um alerta a população sobre os problemas ocasionados pela dependência do tabaco.

A substância inalada, pode causar doenças graves como câncer de estômago, cólon e reto, traqueia, brônquios e pulmão. Além disso, o tabaco produz alterações no sistema nervoso que podem gerar distúrbios emocionais e comportamentais nos indivíduos.

De acordo com a Referência Técnica da equipe de Controle em Tabagismo, Silvana de Oliveira Dias Valada, a fumaça do cigarro também é capaz de provocar problemas de saúde naqueles que convivem com o tabagista, visto que, em média, a fumaça que contém substâncias derivadas do tabaco, tem três vezes mais nicotina e até mais substâncias cancerígenas que o usuário do produto inala.

“Crianças e bebês são particularmente mais suscetíveis ao que chamamos de tabagismo passivo, e isto, pode aumentar os riscos de doenças respiratórias na infância e até levar à síndrome da morte súbita infantil. É importante que o tabagista se conscientize que o uso de cigarro, cigarro eletrônico ou dispositivo eletrônico para fumar, põe em risco sua saúde e a das pessoas que estão em sua volta”, ressalta.

Cigarro eletrônico

Conforme o Art 1º da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 46, de agosto de 2009, a venda comercialização, a importação e a propaganda de quaisquer dispositivos eletrônicos para fumar está proibida no Brasil. 

No Estado, o Núcleo de Vigilância Sanitária oferece aos municípios, que são responsáveis por realizar a fiscalização no meio comercial, apoio quando solicitado.

Os Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEFs) são aparelhos que podem ter ou não, em sua composição a nicotina — substância que é encontrada em produtos derivados do tabaco. Estes dispositivos podem levar à dependência dos indivíduos, assim como os cigarros comuns.

O cigarro eletrônico, atualmente, se encontra em sua última geração que é composta por produtos que não se assemelham ao cigarro regular.

Estes aparelhos contêm um reservatório ou tanque que pode ser recarregado com nicotina e/ou outras drogas. As outras gerações de DEFs, são formadas por cigarros descartáveis e não-recarregáveis, com ou sem formato de um cigarro comum.

Os aparelhos têm em sua composição solventes como a glicerina, o propilenoglicol que se decompõe com altas temperaturas, gerando outros compostos como a acetona. Estas substâncias são classificadas como citotóxicas, carcinogênicas, irritantes, causadoras do enfisema pulmonar e dermatite.

É importante salientar que, a exposição à fumaça em vapor deste instrumento, em ambientes fechados, pode levar a irritação nos olhos, garganta e vias aéreas e, a exposição prolongada ao vapor, aumenta o risco de desenvolvimento de asma.

Riscos

Os produtos derivados do tabaco, tais como o cigarro, cigarro eletrônico ou dispositivo eletrônico para fumar, charuto, cachimbo, cigarro de palha, narguilé, entre outros, podem levar ao desenvolvimento dos seguintes tipos de câncer:

Leucemia mieloide aguda; câncer de bexiga; pâncreas; fígado; colo do útero; câncer de esôfago; rim e ureter; laringe (cordas vocais); na cavidade oral (boca); câncer de faringe (pescoço); estômago; câncer de cólon e reto; de traquéia, brônquios e pulmão.        

Além dessas doenças, o tabaco fumado contribui de forma significativa para acidentes cerebrovasculares e ataques cardíacos mortais. Enfermidades como tuberculose, infecções respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose, catarata, também podem ser desenvolvidas.

Dados

Em 2021, 2.187 pessoas buscaram o tratamento para o tabagismo em todo o Estado. Sendo, 1.111 pacientes do gênero masculino e 1.076 do feminino.

Já em 2020, 2.057 pacientes procuraram pelo tratamento (1.012 do gênero masculino e 1.045 do gênero feminino).

No ano de 2019, ocorreu uma maior busca pelo tratamento. Ao todo, foram 5.787 pacientes que recorreram ao programa de reabilitação.

No Estado, em 2021, 2020 e 2019, por intermédio do programa que atua em 50 municípios; 792, 805 e 2584 pacientes, respectivamente, pararam de fumar após o tratamento.

Onde buscar tratamento

Os usuários podem procurar a Secretaria de Saúde de seu município. Eles serão direcionados às Unidades de Saúde que ofertam o atendimento ou solicitar as informações pelo telefone do Programa Estadual de Controle do Tabagismo: (27) 3636-8206.

 

Leia também

Repórteres da Globo que viralizaram após declaração de amor se casam no Rio

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Repórteres da Globo que viralizaram após uma declaração pública de amor e que...

Combate ao Aedes aegypti precisa ser mantido mesmo nos dias de Inverno

Teve início no Brasil a estação mais fria do ano, o Inverno. Mesmo neste período de constante queda...

Tradicional procissão marítima de São Pedro volta a ser realizada em Vitória

A 94ª edição da procissão marítima de São Pedro, em homenagem ao santo padroeiro dos pescadores, foi realizada...

PCES prende homem suspeito de furtar materiais de uma obra

As equipes das Delegacias de Polícia de Jaguaré e Vila Valério prenderam em flagrante, na tarde dessa quarta-feira (29),...

Homem morre em acidente em rodovia no interior de Boa Esperança

  Uma pessoa morreu em um acidente entre uma caminhonete e uma motocicleta, na tarde desta terça-feira, dia 05,...

Governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, testa positivo para Covid-19

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), divulgou, na manhã desta segunda-feira (4), que testou positivo para...

PRESIDENCIÁVEIS: Cuidado social, parceria com a iniciativa privada e economia verde formam o tripé da proposta de governo de Simone Tebet

Pré-candidatos à presidência da República apresentaram suas propostas de governo em diálogo promovido pela Confederação Nacional da Indústria...