Detentos, servidores e profissionais de saúde do sistema prisional serão testados para Covid-19

 

Um Inquérito Epidemiológico realizado no sistema prisional do Espírito Santo vai testar internos custodiados, servidores penitenciários e profissionais de saúde para o coronavírus a partir da próxima segunda-feira (31).

Na primeira fase, serão realizados cerca de dois mil testes rápidos. A segunda etapa prevê a testagem de mais duas mil pessoas, com previsão de execução em outubro.

O projeto seguirá os mesmos moldes adotados no inquérito sorológico realizado nos municípios capixabas.

Os testes serão realizados de forma aleatória, a partir de um sorteio feito por meio de aplicativo específico executado pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

De acordo com a gerente de Saúde do Sistema Prisional, Larissa Rodrigues Stiba, o objetivo é fazer os testes da Covid-19 em 34 estabelecimentos penais do Estado para levantar dados epidemiológicos e a prevalência da doença.

A testagem deve auxiliar os órgãos responsáveis a atuar de forma pontual e específica no controle do novo coronavírus nos presídios.

“Como a testagem é rápida, o resultado dos testes irá direcionar o atendimento que será realizado para os casos positivos. Internos serão encaminhados às áreas específicas de isolamento e receberão o atendimento necessário pelas equipes de saúde. Já os servidores serão orientados a procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo”, afirmou.

Desde o início da pandemia no estado, 707 internos testaram positivo e dois morreram. Atualmente, há 340 casos ativos da doença no sistema prisional.

A ação é realizada pela Secretaria da Justiça (Sejus), em conjunto com a Secretaria da Saúde (Sesa), Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

A iniciativa da Sejus tem o apoio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), responsável pela doação dos testes que serão utilizados.

Medidas de prevenção

De acordo com a Sejus, desde o início da pandemia, diversas ações foram adotadas para prevenção e contenção da doença, como a adoção de celas de isolamento para casos suspeitos e casos confirmados, mudanças nas rotinas de visitas, assistência religiosa e atividades laborais.

A Sejus oferece atendimento de saúde em todas as unidades prisionais, garantindo atendimento médico e assistência à população carcerária.

As visitas aos internos ficaram suspensas a partir no dia 1º de abril e só retornaram no dia 10 de agosto.

Leia mais

Leia também