Despesas com judicialização na saúde reduzem mais de 30 milhões em 2021

Compartilhe

O ano de 2021 fechou com o balanço positivo para o Sistema Único de Saúde (SUS) capixaba: a redução em R$ 31,6 milhões nos gastos com despesas judiciais. De acordo com dados da Secretaria da Saúde (Sesa), o gasto com a judicialização foi de pouco mais de R$ 88.000.000,00 durante todo o ano. 

Para a gerente de Demandas Judiciais em Saúde, Brunella Cintra Sodré, o cenário é resultado também do trabalho administrativo realizado pela Secretaria. “Quando ampliamos a oferta na rede própria, conseguimos atender às demandas judiciais e, com isso, há uma redução significativa de gastos”, explicou. 

A redução das despesas judiciais, em 2021, representa cerca de 26,4% quando comparada com os dados de 2020, quando a Sesa desembolsou pouco mais de R$ 119.600.000,00. Entretanto, o número de ações aumentou cerca de 15%, passando de 7.557 ações, em 2020, para 8.689, em 2021.

“Isso mostra a eficiência do SUS e como a rede própria consegue dar mais respostas aos usuários, com melhor assistência. Tivemos o aumento de ações, mas conseguimos gastar menos, pois executamos mais serviços na rede própria ao invés de comprar na rede privada. Temos, em 2021, a menor proporção de custos com despesas judiciais em relação ao orçamento total da Secretaria dos últimos 7 anos, com 2,3%”, destacou o assessor especial da Sesa, Edson Pistori.

Ainda, segundo Pistori, a expectativa é que a redução se repita em 2022, em virtude do início das atividades do Programa Estadual para a desjudicialização do acesso ao SUS, o “SUS+JUSTIÇA”, que é desenvolvido em parceria com a Procuradoria Geral do Estado (PGE).

“Com o SUS+JUTIÇA poderemos melhorar a defesa judicial do SUS, diminuindo os conflitos na Justiça e melhorando o acesso aos usuários aos serviços da rede pública de saúde”, informou o assessor.

O “SUS+JUSTIÇA” é um programa capixaba que tem a iniciativa de trabalhar a redução dos processos judiciais ano a ano e, assim, proporcionar a ampliação do investimento na própria rede de saúde. Além disso, o programa tem por objetivo também prevenir fraudes e tornar mais eficiente e econômico o cumprimento de decisões judiciais na saúde, assegurando o atendimento adequado e no tempo certo aos usuários que demandam acesso ao direito à saúde, por meio do Sistema de Justiça.

 

Leia também

Após denúncia, polícia prende suspeitos com armas em Barra de São Francisco

Na tarde deste domingo (22), o COPOM de Barra de São Francisco recebeu inúmeras ligações de moradores do...

CÂNCER: Exame de mama deve ser realizado a partir dos 40 anos, recomenda SBM

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda a realização do exame de mama a partir dos 40 anos....

Mais de 150 mil pessoas ainda não declararam IR no Espírito Santo

A entrega da Declaração do Imposto de Renda deve ser feita até 31 de maio. Faltando oito dias...

TCU aprova privatização da Eletrobras

O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta quarta-feira (18), por 7 votos a 1, o...

Governo garante material para concluir pavimentação em Vila Paulista

O presidente da Câmara Municipal, vereador Ademar Antônio Vieira, o Lemão Vitorino, anunciou nesta sexta-feira, 20, nas redes...

Palmeiras derrota Juventude e se aproxima da liderança do Brasileiro

Em uma noite muito fria em Caxias do Sul, o Palmeiras derrotou o Juventude por 3 a 0,...