Desenvolvimento ágil e inovação com base em conhecimento são destaques do penúltimo dia da VII Semana Estadual de TIC

O papel do desenvolvimento ágil e do conhecimento para gerar inovação foram os pontos que nortearam os debates desta quinta-feira (24), penúltimo dia da VII Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), que está sendo realizada em formato on-line. 

Na avaliação do presidente do Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest), Tasso Lugon, a programação do evento está bastante diversificada e atraente para os profissionais de Tecnologia da Informação (TI) e demais segmentos da sociedade. “Estamos com debates muito ricos e com conteúdos relevantes. Hoje, vamos destacar o papel do desenvolvimento ágil e da inovação na conjuntura do “novo normal’”, pontuou.   

O procurador-geral do Estado, Jasson Hibner Amaral, destacou o esforço do Prodest para tornar o Poder Executivo Estadual cada vez mais digital e ágil para o cidadão. Para ele, a modernização do Estado somente é viável com o uso estratégico da tecnologia.

“O portal de Desaparecidos e o e-Docs são dois ótimos exemplos de inovação no setor público. Outra medida importante é o uso da videoconferência para realizar as audiências de custódia. É fundamental reduzir custos e aumentar a eficiência. Com o uso adequado dos recursos tecnológicos, estamos alcançando esse objetivo no Estado”, destacou Amaral.

Produtividade

Em seguida, o consultor e palestrante Carlos Oest ministrou a palestra com o tema “Desenvolvimento Ágil x Cultura na Organização”.  Segundo ele, é necessário que o processo de criação de software seja integrado, ou seja, com uma boa interação entre a equipe de TI e os clientes.

O palestrante também disse que as empresas estão optando cada vez mais pelo desenvolvimento ágil, porque é uma alternativa para entregar sistemas de forma rápida, com foco na produtividade e na capacidade de fazer adaptações de acordo com a demanda.

“O mundo está andando muito rápido e as equipes de desenvolvimento não podem perder isso do radar. É preciso buscar uma participação efetiva com o cliente, para que os sistemas sejam construídos seguindo boas práticas e apresentem resultados expressivos. O ágil não está restrito à TI, pois deve englobar a empresa inteira. Por isso, a cultura organizacional precisa ser forte e estar conectada com as tendências atuais”, enfatizou Oest.

Conhecimento

Encerrando o penúltimo dia da VII Semana Estadual de TIC, foi realizada a mesa-redonda “Sociedade inovadora, altamente qualificada e economia baseada em conhecimento”. O moderador foi o presidente da Prodabel, empresa de TI do município de São Paulo, e da Associação Nacional das Cidades Inteligentes, Tecnológicas e Inovadoras (ANCITI), Leandro Moreira Garcia.

Na visão dele, a transformação digital reforçou a tendência de que os dados se tornaram a principal riqueza da sociedade. “Concordo que os dados sejam considerados o novo petróleo, porque devidamente gerenciados podem agregar bastante valor ao setor público e às empresas”, mencionou  

Para a gerente de TI do Instituto Butantã, Cláudia Anania, a tecnologia é essencial para enfrentar diversos problemas, por meio da coleta e análise de dados. “A pandemia nos mostrou essa tendência de maneira muito clara. Estamos utilizando as ferramentas tecnológicas com eficiência graças a profissionais competentes e que interpretam os dados com inteligência. As informações coletadas e analisadas nos permitem analisar melhor a dinâmica do novo Coronavírus”, acrescentou.  

Na avaliação do superintendente de Tecnologia da Informação, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Gustavo Sanches, a sociedade do conhecimento se fortaleceu com as novas tecnologias, como a inteligência artificial.  “À medida que compartilharmos informações de forma correta e estratégica com diversos atores sociais, maior é o potencial de utilizar os dados abertos a favor dos nossos serviços”, salientou.

O diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação do Tribunal Regional da 1ª Região, Lucio Melre da Silva, disse que o avanço tecnológico é essencial para tornar o Poder Judiciário mais ágil e eficiente. “Temos uma estimativa de 80 milhões de processos judiciais em andamento no Brasil. Para reduzir esse passivo, é necessário adotar mecanismos que tornem os nossos trabalhos mais ágeis e produtivos”, frisou.

A VII Semana Estadual de TIC termina nesta sexta-feira (25). A programação está disponível no site www.semanatic.prodest.es.gov.br