Deputados defendem hospitais de campanha no Espírito Santo

Deputados se pronunciaram e fizeram indicações sobre o tema / Foto: Sérgio Andrade

A construção de hospitais de campanha no Espírito Santo para internação de pacientes infectados com o novo coronavírus foi defendida por parlamentares na sessão ordinária virtual desta segunda-feira (4). O Plenário também aprovou o envio ao governo do Estado de seis indicações parlamentares sobre o tema, entre as quais as que sugerem a construção dessas estruturas, destinadas ao atendimento de baixa complexidade, no Parque de Exposições Floriano Varejão, conhecido como Pavilhão de Carapina, na Serra, e no Estádio Kléber Andrade, em Cariacica.

Ainda na Fase das Comunicações, a deputada Iriny Lopes (PT) levantou a questão, defendendo a importância de implantação de hospitais de campanha. “Temos assistido o número de mortes, estamos entrando na fase crítica”, afirmou. A parlamentar se posicionou contrária à compra de leitos nos hospitais privados, medida adotada pelo governo do Estado para suprir a falta de leitos na rede pública.

Na fase do Grande Expediente, a proposta foi defendida por Janete de Sá (PMN). “Não temos leitos suficientes para absorver a demanda”, opinou, acrescentando que “não dá para transferir paciente para outro estado”. Para a parlamentar, é fundamental dar a celeridade ao processo, que deve incluir também a garantia de equipamentos para os hospitais de campanha.

A falta de leitos para atender aos pacientes também preocupa o deputado Dr. Emílio Mameri (PSDB). “Será que estamos preparados para o pico em relação aos leitos hospitalares? Temos condições de prestar atendimento a todas as pessoas? Por que não iniciar o hospital da campanha?”, indagou.

Indicações

Seis indicações parlamentares sobre hospital de campanha foram aprovadas em plenário e serão encaminhadas ao governador Renato Casagrande (PSB). Doutor Hércules (MDB) – autor da Indicação 658/2020 – e Alexandre Xambinho (PL) -Indicação 461/2020 – defendem a instalação da estrutura no Pavilhão de Carapina.

“O número de casos com notificação positiva é inferior à realidade, seja porque a velocidade de divulgação dos resultados dos exames não acompanha a demanda factual, seja porque não foi adotada a política de testagem em massa da população”, justifica Doutor Hércules, que preside na Casa a Comissão de Saúde.

Para Hércules, a adoção da medida vai aliviar a demanda na rede hospitalar: “De cada 20 pacientes internados, apenas 2 estatisticamente vão evoluir para casos graves”, diz na justificativa da indicação.

Xambinho  defende, na Indicação 462/2020, o uso da rede hoteleira para abrigar hospitais de campanha. Euclério Sampaio (DEM) e Delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos) sugerem, também por meio de indicações, o uso de estádios de futebol.

Já Gandini, autor da indicação 550/2020, propõe a “criação de canal de doação oficial, a ser veiculado pelos meios de comunicação, para fomentar a arrecadação de doações provenientes de pessoas físicas e jurídicas, para a instalação, manutenção e funcionamento de hospitais de campanha”.


Leia mais

Leia também